You are here

Crise global da água irá intensificar-se com o colapso do clima

O líder científico do British Antarctic Survey e principal autor do relatório do IPCC explica que inundações, secas e incêndios florestais vão piorar à medida que o aquecimento global interrompe o ciclo da água do planeta.
Foto de Ilfede, dreamstime.

De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC na sigla em inglês), o aquecimento global de pelo menos 1,5ºC deve ocorrer nas próximas duas décadas. Este aumento da temperatura será acompanhado por grandes mudanças no ciclo da água do planeta, com áreas que já estão húmidas a tornarem-se muito mais húmidas e áreas já áridas a tornarem-se mais sujeitas a secas. Por cada 1ºC adicional de aquecimento global, as chuvas crescem 7% em intensidade, constatou o IPCC.

O professor Mike Meredith, líder científico do British Antarctic Survey e principal autor do IPCC, citado pelo Guardian, avança que, “à medida que a atmosfera continua a aquecer por causa do aquecimento global, ela pode reter e transportar mais humidade - portanto, em maior escala, esperamos ver uma aceleração do ciclo hidrológico: evaporação mais forte nos trópicos e chuvas mais intensas nas latitudes elevadas e em algumas regiões equatoriais. Isso levará a eventos extremos de chuva mais frequentes em áreas já húmidas e a uma maior incidência e severidade de inundações”.

Mike Meredith acrescenta ainda que “já existem fortes evidências de que estamos a assistir a essas mudanças. Em algumas regiões secas, as secas tornar-se-ão piores e durarão mais. Esses riscos são agravados por consequências indiretas, como maior risco de incêndios florestais, como já estamos a ver”.

O mesmo alerta é dado pelo professor Ralf Toumi, codiretor do Grantham Institute on Climate Change do Imperial College London, bem como por Ilan Kelman, professor da University College London.

Kelman refere que “as alterações climáticas tornarão os regimes húmidos e secos mais extremos. A humidade do solo diminuirá e os períodos de seca aumentarão em regiões já áridas, como o Mediterrâneo e o sul da África. Espera-se que a variabilidade sazonal da chuva aumente, com menos dias de chuva ao lado do aumento da intensidade das chuvas”.

As alterações nos padrões naturais de chuva do planeta são um dos maiores impactos da crise climática.

As monções no sul da Ásia, fundamentais para a vida e a agricultura de mais de mil milhões de pessoas, e as áreas alimentadas por glaciares são fonte particular de preocupações.

Termos relacionados Ambiente
(...)