You are here

Crianças refugiadas alvo de escravatura e exploração sexual

Pelo menos 10.000 crianças refugiadas não acompanhadas desapareceram na Europa, de acordo com a Europol. A agência de polícia europeia teme que muitas delas tenham caído nas mãos do crime organizado, estando a ser exploradas, inclusive sexualmente.
Foto de Erwin Scheriau.

O chefe de gabinete da Europol explicou ao The Guardian que os menores desapareceram após terem sido registados pelas autoridades em solo europeu. Segundo Brian Donald, 5.000 crianças desapareceram em Itália.

Reconhecendo que, em muitos casos, as crianças poderão ter-se reunido com outros membros da família, Donald alertou que uma sofisticada "infraestrutura criminosa" pan-europeia, que se desenvolveu nos últimos 18 meses, está a eleger os refugiados, principalmente os mais novos, como alvos privilegiados.

A Save the Children estima que tenham entrado na Europa no ano passado 26.000 crianças não acompanhadas. Já a Europol assinala que cerca de 27% dos milhões de refugiados que chegaram ao continente no ano passado eram menores de idade.

Mariyana Berket, da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), alerta que “os menores não acompanhados de regiões de conflito são, de longe, a população mais vulnerável”.

Termos relacionados Internacional
Comentários (3)