You are here

Covid-19: que medidas se aplicam nas próximas semanas, incluindo Natal e Ano Novo

Natal e Ano Novo terão limitações diferentes. Não haverá limite máximo de número de pessoas ou forma de confraternização no Natal. Ano Novo terá restrições de ajuntamentos e na mobilidade entre concelhos. Contudo, um agravamento da situação epidemiológica poderá implicar mais restrições ainda antes do Natal.
Fotogaleria esquerda.net.

Falando em conferência de imprensa este sábado, sobre medidas de emergência aplicáveis nas próximas quatro semanas, o primeiro-ministro anunciou que o Governo tenciona aligeirar as restrições no período de Natal e Ano Novo caso a atual tendência de redução do índice de transmissibilidade do novo coronavírus e de descida do aumento de novos casos de infeção permaneça nos próximos 15 dias.

Catarina Martins, em declarações deste domingo, considera que "cada família deve tomar as melhores decisões para ter um Natal seguro". E para que o possam fazer, "é também preciso que haja apoios sociais e económicos que compensem as restrições de atividade que são necessárias".

Até ao Natal, mantêm-se as medidas atualmente em vigor: teletrabalho obrigatório; uso obrigatório de máscara no local de trabalho quando não é possível o regime de teletrabalho; proibição de circular na via pública nos concelhos de risco elevado ou extremo entre as 13h e as 5h nos próximos dois fins-de-semana; durante a semana os estabelecimentos comerciais, culturais e restaurantes fecham pelas 22h, e a circulação em via pública só será permitida também até essa hora. 

No Natal, entre 23 e 26 de dezembro, será possível viajar entre concelhos e, nas noites de 24 e 25 de dezembro será permitida a circulação na via pública até às 2h da madrugada do dia seguinte. Os restaurantes poderão servir refeições nas noites de 24 e 25 de dezembro até à 1h da manhã. Já no dia 26 de dezembro, a circulação será permitida apenas até às 22h. Não haverá limites ao número de pessoas reunidas durante o Natal, sendo que o risco de contágio aumenta quanto maior for o número de pessoas juntas num mesmo local. 

No Ano Novo, as festas na via pública ou em locais abertos ao público estão proibidas. Não poderá haver ajuntamentos com mais de 6 pessoas na rua, e a circulação na via pública só será permitida até às 2h de 1 de janeiro. Ao contrário do Natal, a circulação entre concelhos está proibida entre as 0h de 31 de dezembro e as 5h do dia 4 de dezembro. 

 

"Não quero definir aqui uma linha vermelha e quero insistir que está ao nosso alcance termos uma via verde, continuando a cumprir as regras na próxima quinzena da mesma maneira como temos cumprido nos últimos 15 dias", referiu o primeiro-ministro.

"Estamos a ter em cada dia menos casos e uma taxa de risco de transmissão controlada e neste momento abaixo de 1%. A experiência indica que cada vez que se aumentam as restrições consegue-se conter epidemia, mas também que em cada que diminuem as restrições aumenta-se o risco de transmissão da epidemia. Temos de continuar a gerir de forma controlada esta situação", defendeu.

Para além do horizonte do Natal e Ano Novo, o primeiro-ministro defendeu ser essencial manter em vigor medidas de prevenção da covid-19 até que 60 a 70% da população se encontre vacinada, já que só nessa altura se considera haver imunização coletiva.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Covid-19, Política
(...)