You are here

“Conselhos do FMI? O que conseguiram foi destruir a economia e aumentar a dívida”

Catarina Martins esteve no Forte da Graça para defender mais investimento na cultura e no património. E reagiu às declarações do FMI a defender que o país desista da política de recuperação de rendimentos.
Foto António Cotrim/Lusa

“Tanto quanto me lembro, nos últimos anos o FMI passou o tempo a dar conselhos que foram seguidos com muita pressa por PSD/CDS, e o que conseguiram foi destruir a economia, aumentar a dívida pública e produzir um desemprego terrível”, afirmou a porta-voz do Bloco. Questionada pelos jornalistas sobre as críticas do FMI ao OE2016, com o Fundo a defender mais cortes nos salários e pensões, Catarina respondeu que “talvez seja a altura de Portugal, em vez de ficar muito amedrontado pelo que pode ou não dizer o FMI, tratar da sua economia, do seu emprego, fazer investimento, apostar no conhecimento, na cultura e na ciência”.

O Forte da Graça, em Elvas, que reabriu ao público em novembro após obras de requalificação e tem recebido milhares de visitas todas as semanas, foi o local escolhido por Catarina Martins para defender a aposta na cultura, no património e no conhecimento. A porta-voz do Bloco saudou este exemplo de “um concelho que se reencontra com a sua memória” e destacou o aumento do número de turistas. “É isto que o país precisa: investimento”, afirmou.

A visita desta sexta-feira ficou também marcada pelas críticas à falta de investimento na Cultura no atual Orçamento do Estado. “O governo do PS achou que na Cultura podia deixar tudo como estava no tempo do PSD/CDS. Nós achamos que isso é um erro tremendo e não deixaremos de defender investimento nas áreas do conhecimento, na ciência e na cultura”, prosseguiu Catarina Martins, destacando ainda a necessidade de investimento na reconstrução e reabilitação do património, “que não só cria emprego como dinamiza a economia”.

“Não desistimos de defender que o Património possa ter uma tutela que responda tecnicamente pela garantia da sua recuperação e pelo conhecimento que pode gerar e pode devolver ao país”, concluiu a porta-voz do Bloco.

Termos relacionados Política
Comentários (1)