You are here

Colômbia: Protestos contra aumento dos transportes e convocação de greve geral

Milhares de pessoas manifestaram-se em Bogotá, a capital colombiana. Para dia 17 de março está convocada uma paralisação cívica nacional.
Mulher jovem parada à frente da polícia anti-motim, que usou bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes, Bogotá, 25 de fevereiro de 2015 – Foto de Leonardo Muñoz/Epa/Lusa

Uma série de protestos atingiu Bogotá, capital da Colômbia, nesta quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016. Os manifestantes protestaram contra a política económica e social do presidente da câmara de Bogotá, Enrique Peñalosa, eleito em outubro do ano passado.

Os manifestantes, que partiram de diversos pontos da capital, marcharam em direção à praça Bolívar com a intenção de reivindicar melhor qualidade nos transporte público e na educação, e garantias laborais.

Os protestos desta quinta fazem parte da preparação para a Paralisação Nacional Cívica, em alusão à greve geral que aconteceu em Bogotá em 1977 e ficou marcada por ter sido duramente reprimida pela polícia. Este ano ela ocorrerá no dia 17 de março.

Durante a greve, a população pretende demonstrar o seu descontentamento com a privatização da Isagén - empresa responsável pela geração de energia em Bogotá, Medellín, Calil e Baranquilla -, as reformas tributárias e nas pensões e exigir o aumento do salário mínimo.

Participaram da manifestação por estudantes, trabalhadores e sindicatos. Além disso, entidades como o PCC (Partido Comunista Colombiano), a Juco (Juventude Comunista) e a UP (União Patriótica) juntaram-se ao protesto.

Artigo publicado em Opera Mundi

Termos relacionados Internacional
(...)