You are here

Coimbra: Bloco defende nova maternidade nos Covões

O Bloco de Esquerda de Coimbra reagiu à intenção manifestada pelo governo de instalar a nova maternidade da cidade nos Hospitais da Universidade, que considera agravar os problemas de hiperconcentração e congestionamento. Hospital dos Covões é a alternativa defendida.
Hospital dos Covões. Foto coimbradistrito.bloco.org
Hospital dos Covões.

O Bloco de Esquerda de Coimbra criticou o projeto de instalar a nova maternidade da cidade nos já congestionados Hospitais da Universidade (HUC) e apelou para que a alternativa do Hospital dos Covões seja "seriamente encarada".

Reagindo em comunicado às declarações da Ministra de Saúde na sexta-feira passada, que afirmou que o governo se inclina para aceitar a proposta de instalar a nova maternidade no perímetro dos HUC, a Comissão Coordenadora Distrital (CCD) de Coimbra do Bloco lembra que essa ideia já surgiu em abril do ano passado e foi na altura alvo de críticas, pois "não estava fundada em estudos publicados nem em debate público, nem envolveu os órgãos autárquicos da cidade e da região". A ideia partiu do Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), unidade que nasceu em 2011 da fusão dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), situados no centro da cidade, com o Hospital dos Covões, situado na margem sul do Mondego. Atualmente, Coimbra tem duas maternidades públicas, a Daniel de Matos e a Bissaya Barreto, ambas no centro da cidade e com problemas de envelhecimentos das instalações.

Passado um ano, a CCD considera que "voltámos ao ponto de partida, continuando a não haver estudos nem debate público". Entretanto a situação nos HUC continuou a piorar: regista-se "congestionamento dos serviços nas instalações centrais", crescentes dificuldades de acesso para "os funcionários/as que aí trabalham", para os "cidadãos/ãs que aí procuram cuidados de saúde", bem como "todos/as os/as que estudam e trabalham no Pólo III da UC (Faculdades de Medicina e de Farmácia)". Tudo isto avolumou também os problemas para os residentes daquela área da cidade, afirma o comunicado.

A CCD vê na ideia mais um passo "para a desqualificação do Hospital dos Covões, em favor da lógica de hiperconcentração de serviços e valências no Polo de Celas" dos HUC. Em alternativa o Bloco defende a revalorização dos Covões enquanto "unidade altamente diferenciada na prestação de cuidados de saúde, no quadro duma desconcentração planeada de serviços para servir as populações de Coimbra e da sua região".

O comunicado alerta ainda que a decisão sobre uma infraestrutura com a importância da maternidade, que servirá uma região com dois milhões de habitantes, não pode "ser decidida somente pelo Conselho de Administração dos CHUC", pois interfere "com o urbanismo, com a mobilidade e com inúmeras outras infraestruturas, cujo planeamento e execução competem aos órgãos de poder local".

Por estes motivos, a estrutura distrital do Bloco em Coimbra exige que o Hospital dos Covões "seja seriamente encarado pelo Ministério da Saúde" como local para a nova maternidade, e que se realizem e disponibilizem ao público os estudos que têm faltado para um debate público informado. A questão tem suscitado críticas de outros setores: vozes do PS, do PCP e da Câmara de Coimbra também se manifestaram contra a instalação da nova maternidade nos HUC.

Termos relacionados Sociedade
(...)