You are here

Cleanumber: empresa de limpeza recorreu a trabalho informal e sem condições

Portal despedimentos.pt denunciou práticas de chantagem e condições de trabalho ilegais e que colocam trabalhadores imigrantes em situação de risco em momento de pandemia.
Instalações da Cleanumber, Imagem Google Street View

A empresa Cleanumber – Serviços De Limpeza, Unipessoal, Lda, com sede em Matosinhos, foi denunciada no portal despedimentos.pt, por ter “angariado, através de grupo WhatsApp e “boca a boca”, trabalho sem qualquer enquadramento e sem quaisquer direitos, valendo-se da situação de necessidade das pessoas envolvidas”, nomeadamente de trabalhadores imigrantes que ficaram sem rendimentos e que estão agora numa situação de grande fragilidade.

Segundo a denúncia, “no dia 27 de março, [os trabalhadores] foram transportados de Vila Nova de Gaia para o Porto, tendo daí seguido para o distrito de Aveiro, em carrinhas da empresa Cleanumber, para desempenhar trabalho em unidade da Simoldes” tendo-se mantido a situação durante 8 dias. “Algumas destas pessoas trabalharam uma semana na limpeza das máquinas e zona de produção da empresa Simoldes, das 10h00 às 22h00, sem equipamentos de proteção individual e sem cumprimento das regras de afastamento social. Foi-lhes distribuída uma t-shirt da empresa Cleanumber, trabalhando sob vigilância de outros trabalhadores, tendo de se confrontar com comentários racistas e xenófobos”.

Os denunciantes relataram a chantagem da empresa e a ausência de qualquer vínculo de trabalho, um rendimento de 3,5€ à hora e com pagamento previsto apenas a 10 de maio. “Estamos perante uma clara e consciente violação de todas as regras laborais e dos direitos mais elementares, assim como das normas determinadas pelas autoridades de saúde, com vista à contenção da pandemia”, pode ler-se na denúncia lançada através do portal despedimentos.pt.

Termos relacionados Sociedade
(...)