You are here

Cartel da banca: Acordo com Bruxelas reduz multa para mil milhões de euros

Citigroup, Royal Bank of Scotland, JPMorgan, Barclays e Mitsubishi UFJ Financial são os cinco bancos multados pela Comissão Europeia por manipulação de taxas de câmbio. O sexto banco envolvido era o UBS, que escapou à multa por denunciar o esquema.
Foto Jim Makos/Flickr

A investigação a dois casos de manipulação de taxas de câmbio por parte de um cartel de bancos terminou em acordo entre a Comissão Europeia e cinco bancos de vários países. Em troca do pagamento de pouco mais de mil milhões de euros por parte do Citigroup, Royal Bank of Scotland, JPMorgan, Barclays e Mitsubishi UFJ Financial, os bancos comprometem-se a não recorrer da decisão.

A comissária da Concorrência afirmou em comunicado que esta multa é “uma mensagem clara de que a Comissão não irá tolerar condutas coniventes em qualquer setor dos mercados financeiros”. Margrethe Vestager acrescentou que o comportamento dos bancos agora condenados “prejudicou a integridade do setor à custa da economia e dos consumidores europeus”. Contudo, o montante a pagar pelos cinco bancos fica um pouco aquém da multa aplicada ao cartel da Euribor, e totaliza menos de um terço da multa recorde imposta por Bruxelas ao cartel dos fabricantes de camiões que combinavam entre si o preço de venda à saída da fábrica entre 1997 e 2011.

Os cinco bancos são acusados de combinarem entre si as suas estratégias de compra e venda no mercado Forex em euros, libras, dólares norte-americanos, canadianos, australianos e neo-zelandeses, ienes, francos suíços e coroas dinamarquesas, suecas e norueguesas. O mercado de câmbios movimenta biliões de euros diariamente em operações financeiras que têm como clientes os principais bancos, mas também fundos de pensões, hedge funds e grandes empresas.

As combinações eram feitas por traders em salas de conversação online a que estavam ligados através dos terminais Bloomberg. A maior parte deles conheciam-se pessoalmente. A um desses chats deram o nome de “Essex Express”, pois quase todos residiam em Essex e apanhavam juntos o comboio para Londres. Os factos sob investigação ocorreram entre o fim de 2007 e o início de 2013.

O banco UBS também estava envolvido neste esquema, mas conseguiu imunidade ao denunciar a existência destes cartéis, poupando assim o pagamento de uma multa de 285 milhões de euros. Os restantes viram reduzida a multa até metade do valor por colaborarem com a investigação — à exceção do Mitsubishi UFJ Financial, antigo Bank of Tokyo-Mitsubishi — e todos beneficiaram de novo “desconto” no valor de 10% por assinarem o acordo que pôs fim à investigação.

Termos relacionados Internacional
(...)