You are here

Carta subscrita por Marisa exorta presidente do PE a deixar entrar Puigdemont e Comín

Antonio Tajani impediu a acreditação de Carles Puigdemont e do ex-conselheiro Toni Comín como eurodeputados. Martina Anderson (Sinn Féin), Marisa Matias (Bloco) e Jordi Solé (ERC), entre outros, escreveram carta de protesto ao presidente do Parlamento Europeu.
Foto GUE/NGL / Flickr.
Foto GUE/NGL / Flickr.

"Como bem sabe, a sua lista [a de Puigdemont e Comín] obteve 1.025.411 votos de cidadãos europeus. Proibir Puigdemont e Comín de entrar ao Parlamento Europeu representa uma violação dos seus direitos políticos e dos direitos políticos dos seus votantes", lê-se na carta, dirigida também aos vice-presidentes do Parlamento Europeu.

Os sete eurodeputados que subscrevem a carta criticam a "discriminação política" de impedir a sua entrada e consideram "inaceitável" a mesma medida ter sido aplicada posteriormente ao resto dos futuros eurodeputados espanhóis para evitar problemas políticos.

A missiva é subscrita pelo esloveno Ivo Vajgl (DeSUS), o belga Mark Demesmaeker (N-VAI), a espanhola Izaskun Bilbao (PNV), a italiana Barbara Spinelli (independente), a irlandesa Martina Anderson (Sinn Féin), o irlandês Marc Carthy (Sinn Féin) e a portuguesa Marisa Matias (Bloco de Esquerda).

Termos relacionados Internacional
(...)