You are here

Canadá responde a Trump: Refugiados são bem-vindos no país

Reagindo à proibição da entrada de cidadãos de sete países nos EUA, o primeiro ministro Justin Trudeau escreveu no twitter que acolherá os refugiados no Canadá.
A mensagem de Justin Trudeau já foi replicada mais de 400.000 vezes até ao momento e a hashtag #BemVindosaoCanadá está a ser amplamente difundida no país.Foto de Justin Trudeau, Flickr.

A proibição, por parte do novo presidente dos Estados Unidos da América, da entrada de pessoas de sete nacionalidades, independentemente de terem visto ou mesmo autorização de residência nos Estados Unidos, motivou a reação de Justin Trudeau na rede social Twitter: "Para aqueles que fogem de perseguições, terrorismo e guerra, os canadianos vão receber-vos, independentemente da vossa fé. A diversidade é a nossa força #BemVindosaoCanadá".

A mensagem já foi replicada mais de 400.000 vezes até ao momento e a hashtag #BemVindosaoCanadá está a ser amplamente difundida no país.

Ahmed Hussen, ministro da imigração do Canadá, que nasceu na Somália - um dos países que consta da lista de Trump - e chegou ao Canadá como um refugiado, garantiu que usará a sua “autoridade como ministro para dar àqueles retidos no Canadá residência temporária, caso precisem”, como fizeram no passado.

O autarca de Toronto, John Tory, citado pela CBS News, fez eco das palavras de Trudeau: "Entendemos que, como canadianos, somos quase todos imigrantes e que ninguém deve ser excluído com base na sua etnia ou nacionalidade".

Já a porta-voz de Trudeau, Kate Purchase, afirmou, em declarações à Associated Press, que "o primeiro-ministro está ansioso por discutir os sucessos da política de imigração e refugiados do Canadá com o presidente” quando estes se encontrarem.

Desde o final de 2015, e segundo dados do New York Times, o Canadá já recebeu quase 40 mil cidadãos refugiados, a maior parte vindos da Síria.

Mais de 75% das exportações do Canadá são destinadas aos Estados Unidos.

"Ataque terrorista" em mesquita do Quebeque

Entretanto, este domingo à noite, atacantes armados dispararam sobre as mais de 40 pessoas que se encontravam numa mesquita do Quebeque no período das orações. Registaram-se pelo menos seis mortes e oito feridos.

O primeiro-ministro canadiano condenou este “ataque terrorista contra muçulmanos”, informando que “as autoridades ainda estão a investigar” o atentado.

“A diversidade é a nossa força e a tolerância religiosa é um valor querido para os canadianos”, refere a nota emitida por Justin Trudeau, que lamenta “esta violência sem sentido”.

“Os muçulmanos-canadianos são uma parte importante do nosso tecido nacional e estes actos sem sentido não têm lugar nas nossas comunidades, cidades ou país. Os órgãos policiais vão proteger os direitos de todos os canadianos e fazer um esforço para deter os autores deste e de todos os actos de intolerância”, acrescenta.

(...)