You are here

Câmara do Porto perde “por falta de comparência” no combate às alterações climáticas

Bloco de Esquerda denuncia a falta de um “verdadeiro plano municipal para a mobilidade sustentável” e quer que o executivo do Porto partilhe os dados sobre a redução de emissões de CO2 na cidade.
Câmara do Porto perde “por falta de comparência” no combate às alterações climáticas
Foto de José Coelho/Lusa.

O Bloco de Esquerda do Porto acusou o executivo de Rui Moreira de ser responsável pelo “Porto estar a perder por falta de comparência” em matéria de combate às alterações climáticas.

Durante a última Assembleia Municipal do Porto, Pedro Lourenço, deputado municipal do Bloco de Esquerda, criticou o executivo camarário: “no momento crítico em que vivemos e numa matéria em que é tão fundamental o papel das autarquias, o Porto está a perder por falta de comparência”.

Pedro Lourenço diz “não existir um verdadeiro plano municipal para a mobilidade sustentável”, questionando o executivo camarário sobre os dados de redução das emissões de CO2 com o qual o Porto estava comprometido.

“Em 2008, no âmbito do parque dos autarcas, o Porto comprometeu-se com uma redução das emissões de CO2 em 45% até 2020 em áreas como a eficiência energética de edifícios, transportes ou a mobilidade.

“Tudo indica que o município do Porto não vai cumprir a meta”, denunciou o deputado municipal do Bloco de Esquerda.

“A nossa preocupação agrava-se porque em matéria de preocupações climáticas, as ações deste executivo são perfeitamente contraditórias”, acusou Pedro Lourenço. Como exemplo deu a “aposta” da autarquia na construção de enormes parques de estacionamento no centro da cidade do Porto.

“Estamos em plena semana global do clima que culmina na próxima sexta-feira com a greve global e a câmara do Porto não se associou a qualquer iniciativa”, afirmou.

Termos relacionados Greve climática estudantil, Sociedade
(...)