You are here

Califórnia: fuga descontrolada de metano obriga ao realojamento de milhares de pessoas

Governador do estado declara subúrbio de Los Angeles em estado de emergência devido à fuga de metano de uma jazida subterrânea e realoja 2.258 famílias.
Foto de Ben Amstutz/Flickr

Uma fuga de metano de uma jazida subterrânea situada nos arredores de Los Angeles foi detetada a 23 de outubro, e continua de forma descontrolada desde então. Jerry Brown, governador do estado da Califórnia, declarou esta quarta-feira o estado de emergência e afirmou que fará tudo o que seja necessário para parar a fuga. Eric Garcetti, presidente da câmara de Los Angeles descreveu a situação como um desastre ambiental.

Os habitantes da zona têm-se queixado de dores de cabeça, náuseas, vómitos e problemas respiratórios; vários residentes já processaram a empresa responsável pelo acidente. A declaração do estado de emergência significa que todas as agências governamentais serão mobilizadas para ajudar a população da área afetada.

 O gás metano, o principal componente do gás natural, aprisiona a radiação solar na atmosfera, sendo um dos mais importantes gases com efeito estufa, que pode ter um impacto nas alterações climáticas muitíssimo superior ao do dióxido de carbono, atuando de forma mais imediata. Nesta fuga, o metano está a ser emitido para a atmosfera a uma taxa tão elevada (entre 30.000 e 58.000 kg por hora) que já equivale a um quarto das emissões totais do estado e a três quartos das emissões anuais de todas as refinarias de petróleo da Califórnia, segundo o jornal canadiano La Presse.

 Este é um dos maiores desastres ambientais na história dos Estados Unidos, embora não tenha efeitos tão visíveis nem imediatos como acontecimentos anteriores. Segundo a BBC, a fuga vai ultrapassar em gravidade o derrame de petróleo no golfo do México de 2010, sendo equivalente a queimar 2.650 milhões de litros de gasolina ou à poluição emitida por 4,5 milhões de carros por dia. O impacto preciso que uma quantidade tão grande de metano emitido para a atmosfera terá nas alterações climáticas não é certo, mas será sem dúvida devastador.

 A origem da fuga provavelmente está numa conduta partida a cerca de 152 m abaixo da superfície. Estas condutas são utilizadas para armazenar o gás no solo para armazenamento, para posteriormente ser retirado e vendido. A jazida, localizada num campo de petróleo esvaziado e localizado a 2.400 m de profundidade, foi, de acordo com o Los Angles Times, comprada pela Southern California Gas Company (SoCal Gas), como armazém natural para acumular gás vindo de outras localidades, o que é comum nos Estados Unidos onde muitas vezes estas reservas de gás natural se localizam na proximidade de grandes locais de consumo, como as grandes áreas metropolitanas.

A SoCal Gas já fez oito tentativas de tapar a fuga, mas ainda sem sucesso, nem perspetivas de o obter tão cedo. A empresa estava a tentar tapar a fuga com um cocktail de químicos e lama, mas não conseguiu atingir o local de ruptura da conduta. Agora, mudou de estratégia e está a tentar isolar uma área muito maior do que a área da fuga, tentando até lá abrir um segundo poço, para aliviar a pressão sobre o primeiro. Neste momento, ainda só conseguiu escavar até 1.100 km de profundidade, menos de metade da distância à qual terá de chegar. A previsão de conclusão da obra é apenas em fevereiro ou março. Até lá, a SoCal Gas vai instalar um sistema de redes para tentar evitar que o gás se espalhe sobre a cidade.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Ambiente
Comentários (1)