You are here

Bloco quer que o PSD pague a conta das festas partidárias na Câmara de Lisboa

Nos últimos meses, Carlos Moedas tem usado as instalações da autarquia para organizar jantares e festas com a líder do governo e do PP de Madrid e as juventudes do PSD e do PP espanhol, com tudo pago pelos munícipes.
Carlos Moedas e Luís Montenegro na comemoração do primeiro ano de mandato do autarca, a poucos dias da festa das juventudes partidárias ibéricas paga pelo município. Foto PSD/Flickr

"Carlos Moedas serviu mais um jantar às custas da Câmara Municipal de Lisboa, desta vez às juventudes do PSD e do PP espanhol", revela o jornal Novo Semanário na edição desta semana. Esta festa partidária da JSD e das Nuevas Generaciones teve lugar a 28 de outubro na sala do arquivo da autarquia e foi divulgada nas redes sociais pelos próprios convivas, com a organização espanhola a agredecer ao autarca lisboeta.

A iniciativa surge na sequência de outro jantar, realizado em julho, oferecido por Moedas a Isabel Diaz Ayuso, a líder do governo e do PP da Comunidade de Madrid que na semana passada teve mais de meio milhão de madrilenos nas ruas em protesto contra a sua política de destruiçao do sistema público de saúde da região. Na campanha eleitoral autárquica, Ayuso gravou um vídeo de apoio a Moedas a defender que "como em Madrid, há que libertar Lisboa das políticas socialistas fracassadas".  

No jantar com Ayuso estiveram presentes o líder do PSD, Luís Montenegro, e outras figuras da direita portuguesa, mas Carlos Moedas não convidou nem sequer informou os vereadores da oposição sobre esta iniciativa. No anúncio feito a dois dias de receber a líder do PP madrileno, a Câmara disse apenas que Ayuso assinaria o Livro de Honra da autarquia, a que se seguiria uma conferência de imprensa, sem referência ao jantar reservado aos dirigentes da direita portuguesa e espanhola e pago pelos munícipes.

Questionado na última sessão da Assembleia Municipal pela deputada bloquista Maria Escaja sobre este "jantar de amigos ideológicos cuja conta foi dividida por todos os munícipes", Moedas respondeu que "é perfeitamente normal" a realização destes convívios. Já quanto à lista de convidados, o autarca diz que, consoante as personalidades em causa, se vai ver "quem é que são as pessoas que têm realmente mais em comum".

Face às novas revelações sobre a festa da JSD e da congénere espanhola, a vereadora Beatriz Gomes Dias reagiu à notícia com a entrega de um requerimento ao presidente da autarquia, questionando sobre o custo das duas iniciativas e como irá a Câmara cobrar ao PSD e à JSD a conta das festas organizadas à custa dos munícipes lisboetas.

"Esta utilização de dinheiros públicos em jantares partidários e festas de juventudes partidárias é demasiado grave para poder continuar e o Bloco de Esquerda considera que é obrigatório que o PSD e a JSD paguem a conta destes convívios partidários, deixando de onerar os e as Lisboetas", afirma a vereadora do Bloco.

Termos relacionados Política
(...)