You are here

Bloco quer ouvir Mário Centeno e António Domingues na segunda comissão à Caixa

Bloco quer que Mário Centeno e António Domingues sejam ouvidos na segunda comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos e que as atas das reuniões do anterior Conselho de Administração sejam divulgadas.
António Domingues, ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos. Foto de Mário Cruz, Lusa.

Nos requerimentos (ver aqui e aqui) entregues esta terça-feira na Assembleia da República, o Bloco de Esquerda solicita ainda as audições de Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Elsa Roncon, ex-Diretora Geral do Tesouro e Finanças, Francisco Sá Carneiro, advogado da CS Associados e da consultora McKinsey, que apoiou Domingues nas negociações com Bruxelas ainda antes de assumir o cargo.

Nesta primeira fase da comissão, que tomou posse a 14 de março, o Bloco de Esquerda – que tem como coordenador na comissão o deputado Moisés Ferreira - requer, em termos de documentação, as atas das reuniões do Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) durante o período em que o banco foi presidido por António Domingues.

Na semana passada, foi decidido que os partidos tinham até às 12:00 desta terça-feira para pedirem documentação e requererem as audições.

O social-democrata José Pedro Aguiar-Branco, que preside aos trabalhos, estimou que as audições entretanto requeridas só serão efetuadas a partir de 18 de abril.

A nova comissão de inquérito sobre a Caixa quer esclarecer, no prazo de quatro meses, a atuação do atual Governo na nomeação e demissão da anterior administração do banco público.

Atualmente, está ainda em funcionamento uma comissão de inquérito, constituída na anterior sessão legislativa, que se debruça sobre a gestão da CGD desde o ano 2000 e sobre os motivos que estão na origem da necessidade de recapitalização do banco público.

AttachmentSize
PDF icon req1.pdf472.64 KB
PDF icon req2.pdf478.19 KB
Termos relacionados Política
(...)