You are here

Bloco ouviu populações e autarcas da região de Viseu afetada pelos incêndios

O deputado bloquista Pedro Soares visitou este sábado os concelhos de Carregal do Sal, Santa Comba Dão e Nelas para discutir com autarcas, bombeiros, produtores florestais e vítimas dos incêndios de outubro algumas das medidas que o Bloco vai propor neste Orçamento do Estado.
O concelho de Nelas encerrou a ronda de visitas de Pedro Soares por algumas das áreas afetadas pelos incêndios no dstrito de Viseu.

O programa desta ronda de visitas organizada com a coordenadora distrital bloquista de Viseu teve como objetivo ouvir as preocupações dos habitantes, agricultores e produtores florestais desta região devastada pelos incêndios do mês passado. Para além de presidir à Comissão Parlamentar de Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local, Pedro Soares está a preparar as propostas do Bloco para o debate na especialidade do Orçamento do Estado, onde o investimento no ordenamento da floresta e na prevenção e combate as incêndios estarão em foco.

No concelho de Carregal do Sal, Pedro Soares reuniu com o presidente da Câmara, Rogério Mota Abrantes, que traçou o retrato de um concelho com 60% de todo o território ardido e com muitos prejuízos para além das 32 casas ardidas. A principal preocupação vai para a situação dos pequenos agricultores para subsistência, na maioria de idade avançada, e que não podem ser excluídos dos apoios prometidos pelo governo por não estarem registados no IFAP - Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas. Tal como noutros concelhos, a resposta a esta tragédia é vista como uma oportunidade única para conter as manchas contínuas de eucalipto e ordenar a floresta, reforçando as equipas de sapadores florestais.

Encontro com a direção da Associação dos Produtores Florestais do Planalto Beirão.

Em seguida, o deputado bloquista encontrou-se com a direção da Associação dos Produtores Florestais do Planalto Beirão. Para além do ordenamento florestal, foi discutida a questão do escoamento da madeira, uma das principais preocupações dos produtores, que sentem a necessidade de vender rapidamente, antes que fique estragada. Os produtores esperam soluções por parte do governo para a conservação da madeira que é preciso cortar este ano e para evitar a queda do preço da madeira. No que toca ao ordenamento, Pedro Soares insistiu que numa floresta dominada pela propriedade privada em minifúndio, a solução tem de passar pela gestão associativa ou cooperativa, através das Unidades de Gestão Florestal propostas pelo Bloco e já aprovadas no parlamento.

Encontro com o vice-presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão.

A agenda de reuniões prosseguiu em Santa Comba Dão, desta vez com o vice-presidente da Câmara de um concelho onde ardeu cerca de 80% da sua área. Também aqui, foram destacadas as preocupações com a resposta imediata, como a reconstrução das casas ardidas - que mesmo sendo de segunda habitação (pelo menos 35), têm um impacto económico e social grande - ou o apoio aos agricultores de subsistência que perderam tudo e não estão registados no IFAP, a par do apoio psicológico às vítimas. A proposta de constituição das Unidades de Gestão Floretsal foi bem acolhida, com o deputado bloquista a defender que a adesão das autarquias é fundamental para dar confiança e apoio técnico à mudança que se propõe para a floresta.

Ainda no concelho de Santa Comba Dão, Pedro Soares visitou a freguesia de S. Joaninho, onde morreram cinco pessoas no incêndio. “Não temos um pinheiro que não tenha sido afectado, arderam todos. Não há um pinheiro verde. Temos um baldio que era a fonte de rendimento da freguesia e ardeu tudo”, lamentou o presidente da Junta de Freguesia, queixando-se da falta de informação e apoio.

O final da tarde de sábado foi passado no concelho de Nelas, onde o deputado e a delegação do Bloco que o acompanhava ouviram os depoimentos da população e dos bombeiros. Pedro Soares defendeu a necessidade de, no curto prazo, o governo apoiar os produtores florestais e os agricultores formais e informais, aqueles que não estão registados, de implementar a gestão em escala da floresta, e de reforçar o investimento nos meios de combate ao fogo.

Visita ao quartel dos bombeiros de Nelas e Canas de Senhorim.

Pedro Soares visitou diversas zonas afectadas pelos incêndios que consumiram uma vasta área florestal, sempre acompanhado de delegações dos Bombeiros de Canas de Senhorim e de Nelas e do  presidente da associação ambientalista AZU, António Minhoto. A visita terminou com uma passagem pelo quartel dos bombeiros de Nelas e Canas de Senhorim, onde foi abordada a necessidade de uma maior profissionalização dos recursos humanos de combate aos incêndios.

Termos relacionados Ambiente
(...)