You are here

Bloco denuncia “condições inaceitáveis” em albergue de animais errantes em Ourém

Governo respondeu que não tem conhecimento da situação nem mandou fazer qualquer inspeção ao local. Município de Ourém não se candidatou ao apoio à construção de um Centro de Recolha de animais.
Foto do canil de Ourém, publicada a nove de janeiro no Facebook de Ricardo Rodrigues que denunciou a situação.
Foto do canil de Ourém, publicada a nove de janeiro no Facebook de Ricardo Rodrigues que denunciou a situação.

A denúncia das condições no Canil Municipal de Ourém começaram no facebook pela mão da Associação Protetora dos Animais de Torres Novas e de um seu associado. Depois, chegaram ao jornal Público que descreveu imagens “que mostram cães aninhados num espaço exíguo, de cimento, revestido por uma rede, o que faz lembrar um “galinheiro” coberto com chapas de zinco”.

A Câmara Municipal de Ourém reconheceu então que “a situação que temos hoje não é a mais adequada, mas é mais favorável do que a que os animais que tinham antes” e que “o canil existe assim há 20 anos”. Justificou ainda que os animais permanecem “dez, quinze dias” e posteriormente seguem para o Canil Intermunicipal de Proença-a-Nova, onde terão melhores condições.

O Bloco responde com “ceticismo” a esta alegação, uma vez que aquele canil recebe animais de 16 municípios e só de Ourém vão 60 por mês. Questiona por isso se esta “será a resposta adequada”. Até porque “o próprio médico veterinário deste canil intermunicipal já assumiu várias vezes (…) que este espaço está superlotado, recusando-se a implementar a esterilização como modo de controlo da população”.

Por tudo isto, as deputadas Fabíola Cardoso e Maria Manuel Rola  questionaram o governo. Defendem que “a urgência da situação pressupõe diligências no sentido de garantir um albergue digno para os animais e de melhorias que garantam que os animais não prosseguem nestas condições que atentam contra a salubridade, segurança pública e bem-estar animal.” E quiseram saber se a lei está a ser cumprida, se houve fiscalização por parte das autoridades, se o município de Ourém solicitou os apoios do orçamento de estado para construção de centro de recolha animal e ainda para proceder à esterilização de animais.

O governo respondeu, por intermédio do Gabinete da ministra da Modernização do Estado e Administração Pública, que não tinha conhecimento da situação nem tinha sido feita qualquer inspeção até ao momento. Ficou também a saber-se que o município de Ourém não fez qualquer candidatura para apoio à construção de um Centro de Recolha Oficial de animais.

Termos relacionados Animais, Política
(...)