You are here

Bloco Coimbra condena agressão a jovem do Lar de S. Martinho por agente da PSP

Concelhia bloquista lembra o dia de prevenção dos maus tratos na infância, 30 de abril, e exige que sejam esclarecidas, as circunstâncias e as “responsabilidades pessoais e institucionais” em que se verificou a agressão.
O dia 30 de abril, dia do ‘Laço Azul’, é dedicado à prevenção dos maus tratos na infância, internacionalmente
O dia 30 de abril, dia do ‘Laço Azul’, é dedicado à prevenção dos maus tratos na infância, internacionalmente

A Concelhia de Coimbra do Bloco de Esquerda divulgou um comunicado em que recorda que o dia 30 de abril, dia do ‘Laço Azul’, é dedicado à prevenção dos maus tratos na infância e “junta a sua voz às centenas de Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) do país, aos e às profissionais que nelas trabalham diariamente e às entidades que as integram e com elas colaboram”.

“O ‘Laço azul’ é o símbolo visual deste combate mundial em favor de políticas públicas que cuidem dos mais novos e que apostem na prevenção dos maus tratos na infância e na juventude”, afirma a estrutura bloquista, recordando que “quem sofre maus tratos desde a infância guardará para toda a vida essas marcas”.

Os bloquistas de Coimbra salientam que “a igualdade de oportunidades, uma vida livre de violência e uma justiça amiga da criança são alguns dos objetivos do Conselho da Europa”, “na linha da Convenção sobre os Direitos da Criança, adotada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 20 de novembro de 1989” e que o Bloco de Esquerda se identifica com esta causa, nomeadamente “valorizando as estratégias preventivas”.

Direção do Lar de S. Martinho revoltada com agressão

A concelhia bloquista considera também essencial denunicar “todas as situações que contrariam aqueles direitos fundamentais das crianças e jovens” e, nesse sentido, condena a agressão a um jovem do Lar de S. Martinho por um agente da PSP. O Bloco de Coimbra exige que sejam esclarecidas as circunstâncias em que a agressão ocorreu, que sejam apuradas “todas as responsabilidades pessoais e institucionais”, para que se tirem as “devidas ilações “para que tais situações não voltem a repetir-se”.

Da referida agressão foram transmitidas imagens, no noticiário da SIC no passado domingo 26 de abril, que revoltaram a população, como destaca a direção do Lar de S. Martinho, em comunicado divulgado na sua página no facebook, na passada segunda-feira.

“A revolta, preocupação e indignação que as imagens transmitidas no noticiário da SIC no Domingo dia 26 de Abril causaram à população em geral e, felizmente, aos nossos meios de comunicação social, são inteiramente partilhadas pela Direcção da Instituição”, refere o comunicado.

A direção do lar afirma ainda que “não pode pactuar com agressões aos seus jovens seja em que circunstância for e acompanhará os jovens agredidos - que são dois, embora apenas um apareça no vídeo”. No comunicado é ainda garantido o apoio jurídico aos jovens, é reiterada a confiança na PSP, sendo também salientado que a instituição “não deixará de actuar e de exigir que se actue contra concretos Agentes que tiveram comportamentos que não são próprios dos Órgãos de Polícia ou de qualquer Autoridade deste país”.

 

Termos relacionados Política
(...)