You are here

Bloco apresenta propostas de emergência para alojamento universitário

Na visita a uma residência universitária em Lisboa, Catarina Martins apresentou duas propostas de emergência para dar resposta à falta de alojamento para estudantes: apoio à criação de repúblicas universitárias em Lisboa e requisição de quartos no alojamento local.
Catarina Martins e Beatriz Gomes Dias visitam residência universitária. Fotografia: Rodrigo Antunes/Lusa

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda visitou com a vereadora Beatriz Gomes Dias a residência universitária do campus da Ajuda, em Lisboa. Catarina Martins apresentou duas propostas de emergência para dar resposta à falta de alojamento para estudantes universitários. 

Em Lisboa, no âmbito da vereação na Câmara Municipal, Beatriz Gomes Dias vai apresentar uma proposta para que haja repúblicas universitárias.

Na Assembleia da República, o Bloco apresentará “uma proposta para que os estudantes não desistam de estudar”. Assim, o Bloco propõe “que o Estado faça um levantamento das necessidades mais prementes” de alojamento para estudantes universitários e que “requisite esses quartos ao alojamento local, dando preferência aos grandes proprietários”. 

“É uma proposta de transição e uma proposta para o imediato” que permite assegurar a possibilidade destes estudantes continuarem a estudar, afirmou Catarina Martins.

A coordenadora do Bloco lembrou que são necessárias medidas estruturais que combatam os preços “absurdos” da habitação em Portugal. Essas medidas passam “pelo fim dos vistos gold, pelo fim dos fundos imobiliários poderem adquirir tanta habitação, pelo fim dos regimes de benefícios aos residentes não habituais”, bem como pela imposição de “regras ao mercado e ao alojamento local”. 

Também fundamental é a disponibilização de oferta pública de habitação bem como de residências públicas para estudantes. Catarina Martins exemplificou com a visita que acabara de efetuar, à residência universitária pública da Ajuda, que “é boa mas à qual poucos têm acesso, porque tem poucas vagas”. 

“Vivemos um momento de urgência: há milhares de alunos que entraram no ensino superior e que precisam agora de uma resposta de habitação para não desistirem de estudar”, concluiu a coordenadora bloquista. 
 

Termos relacionados Política
(...)