You are here

Bloco Açores quer proibir apoios públicos às touradas na região

O Bloco de Esquerda/Açores anunciou que iria apresentar no Parlamento Regional um projeto de lei para proibir “o subsídio por dinheiros públicos à realização de atividades taurinas”. Para a deputada Zuraida Soares “maltratar animais em público para gáudio de uma assistência não é compatível com os padrões civilizacionais avançados”.
Foto: As touradas à corda na ilha da Terceira são apoiadas com subsídios públicos.

Contactada para pronunciar-se sobre a recomendação da ONU a Portugal para limitar a participação de crianças, a deputada bloquista referiu que o partido vai promover uma iniciativa coincidente com o relatório do Comité dos Direitos das Crianças das Nações Unidas.

Zuraida Soares recordou que o Bloco/Açores considera que "maltratar animais em público para gáudio de uma assistência não é compatível com os padrões civilizacionais avançados", quer seja essa prática "vivenciada por crianças, adolescentes ou adultos", considerando "ainda mais grave quando é subsidiada por dinheiros públicos".

"Em conformidade com esta posição, e correspondendo ao estipulado na última Convenção Regional do Bloco/Açores, realizada em janeiro, está a Representação Parlamentar do Bloco de Esquerda mandatada para apresentar na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores um projeto de Decreto Legislativo Regional que proíba o subsídio por dinheiros públicos à realização de atividades taurinas com carácter comercial", referiu.

Os restantes grupos parlamentares da Assembleia Legislativa açoriana dividem-se sobre a questão. O PCP referiu ser, como o BE, contra a manifestação tauromáquicas, e o PSD e o PPM disseram ser a seu favor, mas todos recusaram qualquer iniciativa parlamentar no seguimento da recomendação da ONU. Já PS e CDS optaram por não definir qualquer posição.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Animais, Política
(...)