You are here

Bielorrússia: Atleta olímpica escapa ao regime de Lukashenko

Krystsina Tsimanouskaya obteve um visto humanitário e foi levada para a embaixada da Polónia, em Tóquio, depois de criticar os seus treinadores durante os Jogos Olímpicos. Ativista bielorrusso foi encontrado morto num parque em Kiev.
Krystsina Tsimanouskaya. Foto de SERGEY DOLZHENKO, EPA/Lusa (Arquivo)

A atleta bielorrussa Krystsina Tsimanouskaya recebeu esta segunda-feira um visto humanitário por parte da Polónia depois de ter abandonado os Jogos Olímpicos e ter criticado a “negligência” dos treinadores, avança o Diário de Notícias. O Comité Olímpico da Bielorrússia é liderado pelo filho de Alexander Lukashenko.

A atleta criticou a federação bielorrussa de atletismo depois de esta a ter inscrito numa corrida de estafetas sem a ter avisado. Tsimanouskaya não se tinha preparado nem treinado para as provas de 4x400 metros.

Depois disto, foi ordenada a voltar para a Bielorrússia e, através das redes sociais, denunciou temer pela sua vida. Vários países se ofereceram para acolher a atleta, que acabou por receber um visto humanitário da Polónia e foi levada para a embaixada deste país em Tóquio.

Tsimanouskaya foi uma das duas mil figuras públicas desportivas a assinar uma carta aberta contra Lukashenko, exigindo novas eleições e a libertação de presos políticos.

Antes dos Jogos Olímpicos, Lukashenko já tinha avisado que esperava resultados em Tóquio. “Se voltarem sem nada, é melhor não voltarem”, referiu.

Lukashenko e o seu filho, Viktor, estão proibidos de participar em eventos olímpicos por perseguirem os atletas bielorrussos devido às suas convicções políticas.

Ativista bielorrusso é encontrado morto em Kiev

O ativista Vitaly Shishov, responsável pela organização não-governamental Casa da Bielorrússia na Ucrânia, foi encontrado enforcado num parque em Kiev, de acordo com o jornal Público.

O alerta foi dado pelo seu companheiro, esta segunda-feira, já que Shishov não tinha regressado da sua habitual corrida matinal.

A polícia local, em comunicado, referiu que “o cidadão bielorrusso Vitaly Shishov, desaparecido, ontem (segunda-feira) em Kiev, foi encontrado hoje enforcado num dos parques de Kiev”, acrescentando que “a polícia abriu um processo penal ao abrigo do Artigo 115 do Código Penal da Ucrânia (homicídio premeditado) e verificará todas as versões possíveis, incluindo a de homicídio apresentado como suicídio”.

O centro de direitos humanos bielorrusso Viasna informou que Shishov se tinha queixado de estar a ser perseguido por “estrangeiros” enquanto realizava as suas corridas matinais.

Termos relacionados Internacional
(...)