You are here

Autarcas socialistas detidos em operação anti-corrupção

A Polícia Judiciária deteve os presidentes dos municípios de Santo Tirso e Barcelos, bem como o presidente do IPO do Porto e uma empresária. Em causa estão suspeitas de corrupção e tráfico de influências em ajustes diretos na organização de eventos.
Joaquim Couto em campanha.
Joaquim Couto em campanha em 2013. Foto publicada na sua conta Flickr.

Os autarcas socialistas de Santo Tirso e Barcelos, Joaquim Couto e Miguel Costa Gomes, e o presidente do Instituto Português de Oncologia do Porto, Laranja Pontes, e uma empresária não identificada (posteriormente identificada como Manuela Couto) foram detidos esta quarta-feira pela Polícia Judiciária no âmbito da “Operação Teia”.

Segundo a polícia Judiciária, esta investigação centrou-se nas autarquias de Santo Tirso, Barcelos e Instituto Português de Oncologia do Porto e “apurou a existência de um esquema generalizado, mediante a atuação concertada de autarcas e organismos públicos, de viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste direto com o objetivo de favorecer primacialmente grupos de empresas, contratação de recursos humanos e utilização de meios públicos com vista à satisfação de interesses de natureza particular”.

A operação realizou dez buscas, domiciliárias e não-domiciliárias em autarquias, entidades públicas e empresas, relacionadas com “a prática reiterada de viciação de procedimentos de contratação pública, com vista a favorecer pessoas singulares e coletivas, proporcionando vantagens patrimoniais”, refere ainda a PJ em comunicado.

Joaquim Couto é um dos pesos pesados do aparelho socialista no norte do país. Foi governador civil do Porto entre 1999 e 2002 e foi o edil de Santo Tirso entre 1982 e 1989, repetindo a experiência desde 2013 até aos dias de hoje. Segundo a TVI, a empresária detida é a sua esposa, Manuela Couto, que em outubro passado já tinha sido detida e constituída arguida num processo de corrupção envolvendo contratos assinados entre as suas empresas de comunicação e o Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Miguel Costa Gomes vai no seu terceiro mandato à frente da Câmara Municipal de Barcelos e no mês passado também foi constituído arguido, juntamente com a sua vice-presidente, numa investigação sobre o alegado favorecimento de uma empresa de segurança.

Notícia atualizada em 31 de maio às 13h50

Termos relacionados Sociedade
(...)