You are here

Aumentar os impostos sobre os mais ricos? 83 milionários dizem que é a “única escolha certa”

"A Humanidade é mais importante do que o nosso dinheiro", diz o apelo de 83 milionários que exigem pagar mais impostos porque "os problemas causados pela covid-19 não podem ser resolvidos com caridade, por muito generosa que seja".
Foto Daniel Lobo/Flickr

À medida que se começam a conhecer as consequências económicas e sociais da pandemia e se reconhece o papel decisivo do Estado na resposta à crise, tem crescido o debate sobre as formas de financiar essa resposta. O fracasso da estratégia da austeridade após a última crise, que apenas contribuiu para acentuar a recessão e os problemas sociais, mostra que são necessárias alternativas. Por onde poderão os governos seguir?

Para os 83 milionários que publicaram esta segunda-feira no Guardian uma carta aberta aos governos, a resposta é clara: é preciso aumentar os impostos sobre os mais ricos. O grupo dos “Milionários pela Humanidade”, que inclui personalidades como Jerry Greenfield (um dos fundadores da marca de gelados Ben and Jerry's) ou Abigail Disney (herdeira de Walt Disney), pede aos governos que “aumentem os impostos cobrados a pessoas como nós. Imediatamente. Substancialmente. Permanentemente”.

Os milionários explicam que, apesar de não estarem na linha da frente do combate à pandemia nem serem responsáveis pelo tratamento de doentes, condução de ambulâncias ou manutenção de serviços essenciais, podem ter um contributo decisivo: “[...] temos dinheiro, muito dinheiro. Dinheiro que é extremamente necessário agora e que vai continuar a ser necessário nos próximos anos, à medida que o mundo recupera desta crise.”

Aumentar a tributação dos mais ricos é uma forma de financiar o reforço dos serviços públicos, procurando garantir o acesso à saúde e educação a todas as pessoas, independentemente da sua capacidade financeira. Além disso, a receita fiscal pode contribuir para financiar programas públicos de promoção do emprego e reforço das transferências sociais para combater a pobreza e dar resposta a milhões de pessoas afetadas pela crise. Os milionários defendem que “os problemas causados e revelados pelo covid-19 não podem ser resolvidos com caridade.” Cabe aos governos definir políticas públicas e formas de as financiar.

O apelo dos milionários surge numa altura em que o número de “super-ricos” continua a aumentar, apesar da crise de proporções históricas que o mundo atravessa. O caso de Jeff Bezos, o fundador da Amazon cuja fortuna aumentou 75 mil milhões de euros só este ano, atingindo um recorde de 189 mil milhões de euros, é um exemplo desta tendência. É por isso que a resposta à crise será decisiva para combater as desigualdades e construir uma economia com mais justiça social.

Termos relacionados #CriseGlobal, Internacional
(...)