You are here

Atual e ex chefe de gabinete de Sarkozy condenados por desvio de fundos públicos

Claude Guéant foi multado, condenado a dois anos de pena suspensa e interdito de exercer cargos públicos por cinco anos pelo desvio de dinheiro destinado às forças policiais. Michel Gaudin foi condenado no mesmo caso a dez meses de pena suspensa.
Claude Guéant. Foto de UMP Photos/Flickr

O ex-chefe de gabinete de Nicolas Sarkozy, Claude Guéant, foi considerado culpado pelo desvio de envelopes de dinheiro destinados à investigação policial. Foi condenado a dois anos de pena suspensa, interdito de exercer cargos públicos por cinco anos e multado em 75.000€. Michel Gaudin, atual chefe de gabinete de Sarkozy foi condenado no mesmo caso a dez meses de pena suspensa. O veredito pode ter uma influência negativa na candidatura de Sarkozy à presidência da república em 2017 e, antes disso, às eleições primárias já no próximo ano, pois estão em curso várias investigações a pessoas ou muito próximas dele, ou que estiveram no seu governo. Sarkozy, no entanto, nega qualquer envolvimento.

A acusação contra Guéant diz respeito ao período entre 2002 e 2004, quando era chefe de gabinete de Sarkozy, então ministro do interior. Guéant desviou um total de 210.000€ ao longo de dois anos. Michel Gaudin era na altura diretor-geral da polícia e foi acusado de desvio de fundos públicos, para Guéant. Guéant desviava 10.000€ por mês, metade era para si e o restante dividia com outros três membros do gabinete, que também foram condenados. Guéant afirmou em tribunal não considerar as suas ações ilegais e tanto ele como Michel Gaudin vão recorrer do veredito. Além deste caso, Claude Guéant também está sob investigação por evasão fiscal e falsificação num caso relacionado com as alegações que o Estado Líbio, sob governo de Kadafi, terá financiado a campanha presidencial de Sarkozy, em 2007.

Termos relacionados Internacional
(...)