You are here

Atirador mata dois manifestantes em Kenosha

O jovem de 17 anos, apoiante do movimento "Blue Lives Matter", viajou até Kenosha propositadamente para se juntar a uma milícia de homens armados que patrulhava as ruas da cidade, em clara oposição aos manifestantes que exigem justiça para Jacob Blake.
Manifestantes em Kenosha na noite passada.
Manifestantes em Kenosha na noite passada. Fotografia de Tannen Maury/EPA/Lusa.

Duas pessoas foram mortas e uma foi ferida quando Kyle Rittenhouse, um adolescente de 17 anos, armado com uma arma semiautomática, avançou na direção dos manifestantes que se reuniam para mais uma noite de protestos a exigir justiça para Jacob Blake. 

Kyle Rittenhouse foi detido esta quarta-feira à tarde e acusado de homicídio. Segundo a polícia, o jovem é de Illinois e viajou até Kenocha, no estado vizinho do Wisconsin, só para se juntar a uma espécie de milícia que estava a patrulhar as ruas da cidade desde o início das manifestações. Segundo a Insider, o jovem teria um fascínio pela polícia e uma obsessão pelo movimento Blue Lives Matter, um contra movimento de defesa da polícia americana, surgido em reação ao movimento Black Lives Matter (BLM), movimento político contra a violência policial e o racismo no país.

Alguns dos manifestantes presentes no momento dos homicídios dizem que já tinham notado Rittenhouse, que consideraram estar mais “agitado” que os demais membros do contra protesto. 

Após os disparos numa área cheia de apoiantes do movimento BLM, um dos vídeos do momento mostra que três carrinhas da polícia se aproximaram do local. Kyle Rittenhouse é visto a abrandar enquanto as carrinhas passam por ele, alternando entre pôr as mãos no ar e segurar na arma. Acaba por acenar à polícia e sai livremente. Enquanto isso, ouvem-se mais disparos, o que corrobora a teoria de alguns manifestantes do movimento BLM de que haveria mais do que um atirador no local. Rittenhouse foi detido quase um dia depois. 

Os protestos contra a violência policial nos Estados Unidos da América, desta vez instigados pelo sucedido a Jacob Blake, alvejado sete vezes nas costas pela polícia enquanto os filhos assistiam no automóvel, têm aumentado de intensidade nas três últimas noites. Foram registados momentos de confronto entre alguns apoiantes do movimento BLM e grupos de homens armados. 

Na noite em que Kyle Rittenhouse matou duas pessoas, foram identificados grupos de homens brancos com muitas armas, e alguns com proteção corporal, reunidos numa bomba de gasolina. Segundo testemunhas que falaram com o jornal Guardian, a polícia do Wisconsin foi vista a agradecer à milícia de civis armados pelo apoio, partilhando com eles garrafas de água.

Numa conferência de imprensa que teve lugar esta tarde, o Sheriff Beth do Condado de Kenosha desvalorizou a situação, afirmando que os polícias partilhariam algo com qualquer pessoa, até com os manifestantes. 

Termos relacionados Internacional
(...)