You are here

Atentados terroristas em Cabul

Dois bombistas suicidas fizeram-se explodir junto ao aeroporto de Cabul, provocando a morte de pelo menos 60 pessoas e causando cerca de 140 feridos. Morreram também 12 militares dos EUA. Um grupo aliado do Daesh tinha ameaçado na noite de ontem que ia atacar este local.
Fumo sobe da área do aeroporto de Cabul – Foto de Akhter Gulfam/Epa/Lusa
Fumo sobe da área do aeroporto de Cabul – Foto de Akhter Gulfam/Epa/Lusa

Dois ataques suicidas junto ao aeroporto de Cabul causaram múltiplas vítimas esta quinta-feira. O ministério da Saúde do Afeganistão contabilizou pelo menos 60 mortes e 140 feridos. Do lado norte-americano, há ainda a confirmação oficial da morte de 12 militares, um médico naval e onze marines.

Segundo a RTP, o porta-voz do Pentágono, John Kirby, escreveu no twitter.:

"Podemos confirmar que a explosão no portão Abbey [do aeroporto de Cabul] foi o resultado de um ataque complexo que resultou em várias vítimas norte-americanas e civis."

Depois disso,  o Pentágono confirmou que se registaram duas outras explosões, uma das quais junto a um hotel, situado próximo do aeroporto de Cabul, onde costumam ficar jornalistas e estrangeiros.

A ameaça prévia

Na noite desta quarta-feira tinha sido emitido um alerta de ameaça de ataque terrorista por parte de EUA, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia. Algumas entradas foram encerradas e os funcionários aconselhados a abandonar o local mas, ainda assim, relatam várias fontes, havia multidões de civis nas proximidades do aeroporto, o local diretamente visado. A NATO esclareceu que o Estado Islâmico de Khorasan, um grupo aliado do Daesh e inimigo dos talibãs terá feito a ameaça. Isto apesar do ataque não ter sido reivindicado até ao momento.

EUA dizem que retirada continua como planeado

Kenneth McKenzie, chefe do Comando Central dos EUA, disse em conferência de imprensa ter sido “um dia duro” mas que a retirada dos cerca de mil efetivos do seu país que ainda estão no Afeganistão continuará. O mesmo militar não identificou os atacantes: “Estamos a trabalhar para determinar quem está associado a este ataque cobarde e estamos preparados para agir contra eles. Estamos à procura deles 24 horas por dia”.

António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, também reagiu ao ataque para o condenar e dizer que este ilustra “a volatilidade da situação no Afeganistão mas que, apesar disso, a sua organização continuará a apoiar as pessoas no terreno.

Notícia atualizada às 21.00 de 26 de agosto de 2021.

Termos relacionados Internacional
(...)