You are here

Assassinadas mais de 2 mil pessoas trans nos últimos oito anos

A rede Transgénero Europa (TGEU) revelou que até setembro deste ano foram mortas 240 pessoas por serem transexuais.
Os números revelados pela TGEU sobre a violência em relação a pessoas trans é alarmante. Foto de Jessica Orellana/ Cuntra PuntoTV
Os números revelados pela TGEU sobre a violência em relação a pessoas trans é alarmante. Foto de Jessica Orellana/ Cuntra PuntoTV

O relatório da organização divulgado este domingo - dia em que se assinala o 18º aniversário do Dia Internacional da Memória Trans para recordar as vítimas mortais de crimes transfóbicos ou de género - revela que a nível mundial registaram-se 2264 mortes desde 2008 até outubro de 2016.

O documento adianta que só em 2008  foram assassinadas 149 pessoas, um número que teve “um enorme aumento” até 2012, com 224 pessoas mortas em 2009, 233 em 2010, 268 em 2011 e 311 em 2012.

De acordo com a TGEU, em 2013, o número de mortes baixou para 271, mas voltou aumentar em 2014 para 294 e baixando de novo em 2015 para 274 pessoas.

Considerando o total de homicídios há a registar 2190 mortes entre 2008 e junho de 2016, valor que aumenta para 2264 se forem contabilizadas as 74 mortes verificadas em julho, agosto e setembro de 2016.

“A ponta do icebergue”

“Estas mortes foram relatadas a partir de todas as grandes regiões do mundo (África, Ásia, América Central e América do Sul, Europa, América do Norte e Oceânia) e, tendo em conta que em muitos locais só conseguimos informação parcial, estas 2190 mortes são apenas a ponte do icebergue”, sublinha o relatório da TGEU aludindo à contabilização entre 2008 e junho de 2016.

Em termos globais, a região da América Central e América do Sul, incluindo a zona do Caribe, é a que regista o maior número de mortes, com 1711 pessoas trans assassinadas nos últimos oito anos e meio, em 23 países, um número que “representa mais de 78% de todas as mortes reportadas a nível mundial” de acordo com a organização.

No continente europeu registaram-se 113 mortes neste período de tempo, sendo que sete delas ocorreram entre janeiro e julho de 2016.

Na maioria dos casos, as vítimas foram baleadas - 43.93% - ou esfaqueadas - 24,23% - , sendo que em quase 65% as vítimas eram trabalhadoras sexuais.

Segundo a TGEU se se fizer uma contabilização desde o dia 1 de outubro de 2015 até 30 de setembro de 2016, registam-se 295 pessoas assassinadas, havendo notícia de mortes em 33 países nos últimos 12 meses.

A maioria dos assassinatos teve lugar no Brasil (123), o México (52), Estados Unidos (23), Colômbia (14) e Venezuela (14).

 No continente asiático, a maioria dos assassinatos ocorreu na Índia (6) e Paquistão (5), enquanto na Europa a Itália (5) e a Turquia também com 5 foram os países com maior registo de mortes reportadas.

A TGEU engloba por 150 organizações que estão localizadas em 42 países.

 

In Solidarity - A message on Trans Day of Remembrance

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
Comentários (1)