You are here

Andaluzia: PP e Ciudadanos querem formar governo apoiado pela extrema-direita

O partido Vox garantiu assento na mesa do parlamento andaluz em troca do apoio dado aos dois partidos da direita. PP e Ciudadanos já têm acordo para formar governo na Andaluzia.
Delegações do PP e dos Ciudadanos andaluzes. Ao centro, Juanma Moreno (PP) e Juan Marín (C's). Foto publicada na conta Twitter de Juanma Moreno

Juanma Moreno está na linha da frente para se tornar o primeiro líder do governo regional da Andaluzia que não foi eleito pelo PSOE. O líder do PP andaluz já firmou acordo com o Ciudadanos, que presidirà à Mesa do Parlamento, e conta com os votos da extrema-direita do Vox para ter a maioria suficiente no parlamento.

O acordo PP/Ciudadanos, batizado de Pacto de Natal, foi fechado na terça-feira e promete aumentar salários para professores e profissionais de saúde, baixar os impostos, apoiar empresas nas contratações e no empreendedorismo e financiar o ensino privado, maioritariamente controlado pela igreja. O documento é uma declaração de intenções sem nenhuma quantificação em termos orçamentais e corresponde ao programa da direita liberal para derrubar as políticas seguidas ao longo de 36 anos pelo PSOE na Andaluzia.

Na contagem decrescente para a votação do novo governo, que deverá ter lugar em meados de janeiro, o líder nacional do partido Vox saudou o acordo alcançado com os dois partidos da direita para a mesa do parlamento, mas avisou que só dará os votos decisivos para a formação do governo PP/Ciudadanos se as suas propostas forem tidas em conta.

O PSOE e a coligação Adelante Andalucía, que junta Podemos e Izquierda Unida, recusaram-se a participar em negociações que incluíssem ou dessem representação à extrema-direita, pelo que votarão nos seus próprios candidatos, mesmo que isso implique, como no caso da Adelante Andalucía, não ter votos suficientes para eleger um representante.

Termos relacionados Internacional
(...)