You are here

“Amazónia para Bolsonaro é mais uma vaca para abate no agronegócio”

Mais de 30 coletivos exigem um posicionamento do Governo Português perante os crimes contra a humanidade cometidos pelo governo de Bolsonaro. Para esta segunda-feira está agendada uma iniciativa pela Amazónia na Praça Luís de Camões, em Lisboa, pelas 18h.
Para esta segunda-feira, 26 de agosto, está agendada a iniciativa Lisboa pela Amazónia, que terá lugar na Praça Luís de Camões, em Lisboa, pelas 18h.
Para esta segunda-feira, 26 de agosto, está agendada a iniciativa Lisboa pela Amazónia, que terá lugar na Praça Luís de Camões, em Lisboa, pelas 18h.

No comunicado “Há mais de 15 dias que a Amazónia arde e o cheiro de morte é o de todxs nós”, os mais de 30 grupos da sociedade civil sublinham que o governo de Jair Bolsonaro “segue uma política de destruição e de extermínio vertiginosas”: desmonta órgãos de fiscalização e de pesquisa; assiste impávido à saída de investimentos milionários da Noruega e da Alemanha do Fundo Amazónia; tenta alterar a Constituição Brasileira que regula a demarcação de terras indígenas; incentiva grupos de fazendeiros do Sudeste do Pará a anunciar o “dia do fogo”, coordenando uma queima em massa de áreas em processo de desflorestação.

“A vida no planeta tal como a conhecemos depende da floresta amazónica”, alertam, exigindo um posicionamento do Governo Português perante estes crimes contra a humanidade e o planeta.

As organizações apelam ainda ao boicote de todos os produtos provenientes do agronegócio brasileiro e ao cancelamento da vinda de Jair Bolsonaro a Portugal no começo de 2020.

Por outro aldo, defendem a entrega incondicional dos territórios indígenas aos seus povos, demarcando as suas terras e fiscalizando essas demarcações contra as invasões ilícitas de madeireiros, garimpeiros e tentativas de grilagem.

Assinam este comunicado o Fórum Indígena de Lisboa; A Bela Associação; Anonymous for the voiceless; ATERRA; Associação de Combate à Precariedade - Precários Inflexíveis; Abraço; Animal - santuário de resgate de Cavalos; Academia Cidadã; Assembleia Feminista de Lisboa; CAIP – coletivo de Ação Imigrante e Periférica; Casa Ninja Lisboa; Colombianxs por la Paz - Portugal Consciência Negra; Climáximo; Campanha Linha Vermelha; Climate Save Portugal; Coletivo Por Todas Nós; Eco Roots; Extintion Rebellion Portugal; Femafro; GAIA - Grupo Acção Intervenção Ambiental; GAT- Grupo de Ativistas em Tratamentos; Habita; Leve-leve – Colectivo Denise Viana; INMUNE - Instituto da Mulher Negra em Portugal; Pela Democracia Brasil; Montijo Animal Save; NARP – Núcleo Anti Racista Porto; Ni MAIWÃ – Floresta Mundo; Opus Diversidades; Panteras Rosas – Frene Combate à LesBiGayTransfobia; PolyPortugal; Queer IST; Queer Tropical; Reflorestar Portugal; Sencientes; Solidariedade Imigrante – Associação para a defesa dos direitos dos imigrantes; Saber Compreender; Setúbal Animal Save; Sines Animal Save; SOS Racismo; STOP Despejos; Teia da Terra.

Para esta segunda-feira, 26 de agosto, está agendada a iniciativa Lisboa pela Amazónia, que terá lugar na Praça Luís de Camões, em Lisboa, pelas 18h.

AttachmentSize
PDF icon comunicado_a_amazonia_arde_2.pdf72.45 KB
Termos relacionados Sociedade
(...)