You are here

Amazon e Starbucks entre 91 empresas da Fortune 500 que não pagaram imposto em 2018

Mais de 90 das maiores e mais lucrativas empresas, que constam da lista da Fortune 500, não pagaram um centavo de imposto de rendimento federal em 2018. Instituto de Tributação e Política Económica defende que a lei tributária norte-americana de 2017 foi um “verdadeiro presente para as empresas e seus acionistas”. Por Jake Johnson, Common Dreams.
Foto de Tatsuo Yamashita, Flickr.

A informação consta de um novo relatório publicado segunda-feira pelo Instituto de Tributação e Política Económica (ITEP).

A ITEP examinou os registos financeiros de 379 empresas da Fortune 500 que registaram lucro em 2018, o primeiro ano em que os cortes nos impostos do presidente Donald Trump entraram em vigor. A lei tributária republicana reduziu a taxa de imposto corporativo de 35% para 21%.

"As 379 empresas lucrativas identificadas neste estudo pagaram uma taxa efetiva de imposto de rendimento federal de 11,3% em 2018, pouco mais de metade dos 21% de imposto legal", afirmou a ITEP. "A taxa de imposto efetiva de 11,3% encontrada neste estudo é provavelmente a menor taxa efetiva de imposto nos últimos 40 anos".

A ITEP constatou que 91 das 379 empresas analisadas aproveitaram as brechas para efetivamente não pagar impostos federais em 2018, apesar de terem obtido um lucro combinado de 101 mil milhões de dólares. Essa lista de empresas inclui gigantes empresariais importantes, como a Amazon, Halliburton, Chevron, Starbucks e Delta Air Lines.

Num vídeo publicado no Twitter, a ITEP listou todas as 91 empresas que pagaram zero dólares em imposto de rendimento federal no ano passado:

Matthew Gardner, membro sénior da ITEP e principal autor do relatório, disse que a lei tributária de Trump de 2017 estava "destinada a não cumprir as suas grandes promessas".

"Os defensores da lei alegaram que a mesma aumentaria a receita federal de impostos corporativos, mas isso é quase impossível, já que a lei não apenas reduziu a taxa de imposto corporativo, como também deixou intactas algumas das brechas mais flagrantes", afirmou Gardner em comunicado. "A lei tributária de 2017 foi um verdadeiro presente para as empresas e seus acionistas".

Graças à lei tributária republicana, que Trump assinou em 2017, o Bank of America, J.P. Morgan Chase, Wells Fargo, Amazon e Verizon arrecadaram 16 mil milhões de dólares em benefícios fiscais combinados em 2018.

"A principal conclusão deste estudo é que a lei tributária de 2017 está a funcionar bem para empresas lucrativas, que estão a pagar algumas das taxas mais baixas que a ITEP registou nos quase 40 anos em que examinou os impostos corporativos", disse Gardner.

"Ao promulgar uma lei que reduziu drasticamente a arrecadação destes impostos, os legisladores enfraqueceram a capacidade do país de financiar adequadamente as prioridades críticas", acrescentou Gardner. "Os legisladores terão que parar de curvar-se perante interesses privados e fingir que aumentar a receita não importa".

Artigo publicado em Common Dreams.

Termos relacionados Internacional
(...)