You are here

Alemanha: movimento de extrema direita Pegida vai ser partido

Movimento Patriotas Europeus contra a Islamização do Ocidente (Pegida) anunciou que se irá constituir como partido, adotando o nome Partido Popular para a Liberdade e a Democracia Direta.
Lutz Bachmann, líder do movimento Patriotas Europeus contra a Islamização do Ocidente (Pegida). Foto de Sebastian Kahnert/EPA/Lusa.

O movimento de extrema direita, racista, xenófobo, islamofóbico e anti-imigração alemão Pegida anunciou que se irá transformar num partido político, e que irá passar a denominar-se Partido Popular para a Liberdade e a Democracia Direta.

Lutz Bachmann, o líder do movimento, avisa que o objetivo do partido não é fazer concorrência à Alternativa para a Alemanha (AfD na signa alemã), um partido também de extrema-direita que tem vindo a aumentar a sua base eleitoral. Bachmann assegura que nas próximas eleições legislativas, que terão lugar no Outono de 2017, irão apoiar a AfD, mas que apresentarão candidatos próprios em alguns círculos eleitorais.

O Pegida surgiu no Outono de 2014 com a realização de manifestações anti-imigração semanais em Dresden e é particulamente popular no sul do país. O movimento já foi alvo de vários processos judiciais por incitação ao ódio e em maio passado Bachmann foi condenado pela justiça alemã a pagar 9.600 euros, ao ter sido considerado culpado desse crime.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
Comentários (1)