You are here

Afastamento de Dilma é “passo para golpe de Estado”, denuncia GUE/NGL

"Processo é liderado por membros com um histórico conhecido de irregularidades e atividades ilegais que estão a ser investigadas judicialmente”, refere o grupo parlamentar europeu que integra o Bloco de Esquerda e o PCP.
O GUE acrescenta ainda que “as forças mais reacionárias e o imperialismo nunca aceitaram o processo de mudança que começou em 2002.

O GUE/NGL (Grupo Unitário da Esquerda), grupo parlamentar europeu do qual fazem parte o Bloco de Esquerda e o PCP, considera que o afastamento de Dilma Rousseff é “um passo para um golpe de Estado”.

“A aprovação pelo Senado brasileiro do procedimento para afastar Dilma Rousseff, presidente eleita do Brasil, é um passo decisivo imposto pela direita e pela oligarquia brasileira para um golpe de Estado, com a interferência dos Estados Unidos”, defendeu GUE num comunicado enviado à comunicação social.

O grupo parlamentar europeu afirmou também que é preciso lembrar que "os argumentos usados não resultam de qualquer processo penal" e que o processo "é liderado por membros com um histórico conhecido de irregularidades e atividades ilegais que estão a ser investigadas judicialmente”.

O GUE acrescenta ainda que “as forças mais reacionárias e o imperialismo nunca aceitaram o processo de mudança que começou em 2002, com a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, e procederam desde então a uma escalada de interferência e desestabilização para derrubar o governo eleito democraticamente”.  

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)