You are here

Açores: O Faial saiu à rua para defender o seu aeroporto e a sua economia

Cerca de 400 pessoas juntaram-se esta quarta-feira à frente da sede do Parlamento dos Açores na ilha do Faial para reivindicar a defesa do Aeroporto da Horta e de mais e melhores acessibilidades aéreas ao Faial. O Bloco, solidário com as reivindicações, esteve presente no protesto.

"O objetivo é mostrar aos políticos e a quem nos governa que o Aeroporto da Horta precisa de ser melhorado", explicou Dejalme Vargas, da organização da manifestação popular, em declarações aos jornalistas.

Segundo adiantou, estão em causa "questões de segurança", sendo que a pista do Aeroporto da Horta necessita de ser aumentada em cerca 240 metros para cada lado, por forma a cumprir as exigências da ICAO, o regulador internacional da aviação civil.

"É o único aeroporto que recebe voos do exterior, com aeronaves A320, e que não tem estas zonas de segurança", destacou Dejalme Vargas, admitindo que esta será também uma das razões que justificaram o cancelamento de voos diretos entre Lisboa e a Horta por parte da companhia aérea Azores Airlines.

Ao dirigir-se aos manifestantes, o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, acabou por ser vaiado.

Na sua página de facebook, o Bloco de Esquerda/Açores destaca que, concordando com as reivindicações, “não podia deixar de estar presente” na iniciativa.

Deputados receberam caderno reivindicativo antes da manifestação

Dejalme Vargas reuniu antes da manifestação com os partidos políticos com assento parlamentar - PS, PSD, CDS, BE, PCP e PPM – aos quais entregou um documento reivindicativo.

Durante a manhã, o assunto já tinha estado em discussão no Parlamento, na sequência de um voto de protesto apresentado pela bancada do PSD, contra a "qualidade do serviço que a SATA Internacional/Azores Airlines está, pelo segundo ano consecutivo, a realizar nas ligações da Horta com Lisboa".

O voto foi chumbado, no entanto, pelas bancadas do PS e do PCP. Já o Bloco, ainda que criticando o “aproveitamento precipitado”, por parte do PSD, da “mobilização da sociedade civil legitima e muito bem vinda na região autónoma dos Açores”, votou a favor do documento que condena as opções feitas pela administração da SATA que tanto têm prejudicado a ilha.

(...)