You are here

1º de maio volta a ser dia de greve nos super e hipermercados

A greve abrange todas as empresas de distribuição que insistem em abrir no Dia do Trabalhador. Dias 29 e 30 também há greve no Lidl e dia 4 de maio no Dia Minipreço/Clarel.
Protesto cointra o impedimento de os trabalhadores se manifestarem no 1º de Maio - Foto José Coelho/Lusa (arquivo)

O setor da distribuição continua em luta por aumentos salariais e a revisão do Contrato Coletivo de Trabalho. Esta semana, os trabalhadores do Lidl estão em greve a 29 e 30, com concentração marcada em frete à sede da empresa, no Linhó (Sintra), anunciou o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP).

Os trabalhadores do Dia Minipreço/Clarel estarão em greve na sexta-feira, dia 4 de maio, e irão também fazer uma concentração de protesto junto ao Ministério do Trabalho, em Lisboa às 10h30, altura em que o CESP reúne com a empresa naquele Ministério.

Outra das reivindicações dos trabalhadores é a do encerramento do comércio no 1º de Maio, razão pela qual foi entregue um pré-aviso de greve para esse dia, abrangendo todas as empresas do setor.

Termos relacionados Sociedade
(...)