You are here

10 Junho: Bloco/Europa com “lesados das políticas da emigração” em Paris

O Núcleo Europa do Bloco de Esquerda apela a comunidade portuguesa emigrante a juntar-se à manifestação marcada para o dia 10 de Junho às 16 horas pela associação dos emigrantes lesados do BES (AMELP) junto à Embaixada de Portugal no 16° bairro da capital francesa.
Reunião da associação dos emigrantes em Paris realizada a 2 de abril na Câmara de Gentilly.

Após ter saudado a luta destes emigrantes que o Bloco de Esquerda tem apoiado desde a primeira hora, o núcleo Europa do partido realça que “no dia em que se celebra Portugal e as Comunidades portuguesas no mundo e em que o presidente da República e o Primeiro Ministro se deslocam a Paris, no âmbito dessa celebração, é necessário recordar que os emigrantes são cidadãos portugueses como os outros pelo que exigem igualdade de tratamento em relação aos cidadãos residentes no território nacional”.

Eis por que o Bloco de Esquerda apela a todos os emigrantes que se sentem lesados das sucessivas políticas de emigração a virem manifestar no dia 10 de Junho contra a sua continuidade, isto para além “da legítima solidariedade com os emigrantes lesados do BES”.

Entre as políticas de emigração que lesam os emigrantes, o núcleo Europa do partido começa por apontar “a insuficiência gritante dos serviços públicos consulares, de ensino e de apoio aos mais carenciados e aos trabalhadores precários” bem como “a falta de apoio ao sector associativo”.

Os “entraves à democracia” são igualmente apontados pelo núcleo Europa do partido que reclama para os emigrantes “o recenseamento eleitoral automático” e “o direito de voto sem entraves”, à semelhança de todos os portugueses, “para participar plenamente na vida política” do país e “na sua transformação numa sociedade com mais justiça, transparência e igualdade”.

O comunicado termina com um apelo a todos os sectores da sociedade civil, “professores, funcionários e utentes dos consulados, famílias obrigadas a pagar uma propina discriminatória para que os seus filhos possam ter acesso ao ensino da língua consagrado na Constituição, sector sindical e associativo..., inconformados com a limitação dos direitos cívicos dos emigrantes, antigos como novos emigrantes para que se juntem aos emigrantes lesados do BES e digam a uma só voz no dia 10 de Junho, frente à Embaixada de Portugal “Também somos portugueses”.

Termos relacionados Política
Comentários (1)