Seca em Portugal

As secas em Portugal continental são cada vez mais frequentes e intensas, devido às alterações climáticas. Como enfrentar a situação é a questão chave e aqui chocam os interesses ambientais e da população com os interesses do agronegócio. Dossier organizado por Carlos Santos e Ricardo Vicente.

13 de março 2022 - 22:07
PARTILHAR
Dossier Seca em Portugal

No artigo Mais de 60% de Portugal continental está em seca extrema traça-se um quadro da situação no final de fevereiro de 2022. Em Seca: O que nos espera? Ricardo Vicente equaciona as consequências das alterações climáticas no aumento da escassez da água e em Um país onde não falta a água… Rui Cortes desmistifica falsas alternativas para enfrentar a escassez de água e destaca que “uma floresta de monocultura com incidência no eucalipto é extremamente vulnerável aos fogos e é responsável pelo acentuar da desertificação com a concomitante redução da infiltração da água”.

Água: aprender com o passado para termos futuro aborda a gestão da água, com Maria Manuel Rola a defender que urge “recuperar o modelo descentralizado das regiões hidrográficas tuteladas por um instituto nacional da água é uma urgência”. Construir barragens para ficarem vazias? questiona João Garcia Rodrigues. E afirma: “Não precisamos de mais barragens, mas de rios livres.”

Ricardo Vicente, em Adaptar a agricultura e a paisagem ao novo clima, critica a política dominante que tem privilegiado os “sistemas de produção intensivos em monocultura e com gestão extrativista” e, afirmando que “é preciso fazer o caminho contrário”, apresenta propostas e denuncia que A atual política de regadio é contra o interesse público.

Por fim, três textos já publicados no esquerda.net, Uso Eficiente da Água em Contexto Urbano - Desafios e Perspetivas de José Saldanha de Matos, Regadio: sorver até ao tutano de Maria Manuel Rola e Água, um bem vital, onde José Maria Cardoso se debruça sobre os dramas da privatização da água, com o exemplo de Barcelos.

“A seca é o desastre natural de origem meteorológica e climatológica mais complexo e que afecta mais pessoas e durante mais tempo que qualquer outro”, apontam climatologistas. Com este dossier pretendemos contribuir para o debate das escolhas para fazer face ao desastre, defendendo o ambiente, a vida e o bem-estar social.

Por fim, Sustentabilidade da agricultura no Alentejo em risco, o importante alerta de nove especialistas, e Por um rio Tejo Livre e contra o "projeto Tejo" de Armindo Silveira.

Termos relacionados: