Está aqui

Morreu João Martins Pereira, o intelectual da esquerda

João Martins Pereira. Foto Abril em Maio Faleceu João Martins Pereira. Engenheiro, 76 anos, Martins Pereira publicou um livro que ficou célebre antes do 25 de Abril, "Pensar Portugal Hoje". Foi secretário de Estado da Indústria do 4º Governo provisório, com o ministro João Cravinho e colaborou com a gestão das nacionalizações. Demitiu-se em divergência com a política do governo e a sua incapacidade de criar um novo impulso económico em resposta à crise desses anos.
Aceda ao artigo O que muda e o que não muda escrito por João Martins Pereira em 1993.

Publicou muitos outros livros, como "O socialismo, a transição e o caso português", "Indústria, ideologia e quotidiano" e, mais recentemente, "À esquerda do possível" (1993, editado com João Paulo Cotrim e Francisco Louçã). O seu último livro foi um contributo importante para a história da indústria portuguesa ("Para a História da indústria em Portugal", 2005).

Colaborador do jornal Combate, foi um dos convidados da Convenção fundadora do Bloco de Esquerda, em que fez uma das intervenções de fundo.

Poucas pessoas terão dado tantos contributos teóricos e políticos para a reflexão da esquerda portuguesa, e a partir de um ponto de vista tão informado. No caso de Martins Pereira, como entre outros da sua geração, Jean Paul Sartre foi a influência mais marcante. Mas a partir de Sartre elaborou um marxismo heterodoxo, culto, informado de toda a dissidência e da radicalidade revolucionária do pensamento socialista. Propôs modelos e políticas da transição para o socialismo, e foi provavelmente o único marxista português a fazê-lo de modo consistente.

Devemos-lhe tudo.

Francisco Louçã

O corpo estará a partir das 15h na Biblioteca do Palácio Galveias.

Termos relacionados Sociedade