Está aqui

Massacre em Gaza

AVIAÇÃO E EXÉRCITO ISRAELITAS MATAM 19
tanquegaza Dezanove palestinianos foram mortos ontem na Faixa de Gaza, vítimas de ataques do exército e da aviação israelita, que desencadeou pelo menos cinco raids aéreos. Foi a jornada mais sangrenta nos territórios ocupados desde há muitas semanas. O presidente palestiniano, Mahmud Abbas, renovou o apelo para o fim dos ataques israelitas e do cerco à cidade de Beit Hanun, no norte do território.

Abbas pediu mais uma vez à comunidade internacional "para intervir imediatamente e deter a agressão israelita na Faixa de Gaza e os massacres cometidos desde há três dias".

Os Estados Unidos reponderam secamente, reafirmando o "dirieto de Israel a defender-se." Um porta-voz da aviação israelita disse que os raids visaram homens armados que colocavam minas ou tentavam disparar rockets artesanais contra o território israelita. Aviões de guerra israelitas atacaram também uma mesquita de Beit Hanun, matando um palestiniano e ferindo três.

De manhã, o exército israelita abriu fogo sobre uma manifestação de mulheres, que conseguiram libertar combatentes que estavam sitiados numa mesquita de Beit Hanun. Quatro pessoas, das quais duas mulheres, morreram e 25 ficaram feridas devido aos disparos.

Mais de 400 pessoas  participaram desta manifestação, organizada pelo Hamas.

Termos relacionados Internacional