Está aqui

Newsletter de 13 de Março 2019

Greve estudantil climática soma cidades à convocatória

Bom dia!

A greve estudantil climática soma cidades à convocatória. Marcada para o mundo inteiro para a próxima sexta-feira, começará em Portugal a partir das 10h30. Há cada vez mais cidades com convocatórias de concentrações para a greve estudantil climática. Porque, dizem os jovens, “não há planeta B”.

Para já, é neste planeta, concretamente em Itália, que juízas fazem lembrar Neto de Moura. Parece impossível, mas dois homens foram ilibados da acusação de violação porque a mulher era “demasiado masculina”. Considerarem a alegada vítima “pouco atraente” fez com que a considerassem indigna de atração, e portanto inviolável. Cerca de 200 pessoas protestaram contra este descalabro.

A desigualdade de género parece existir também no desporto. O conselho da Associação Internacional de Federações de Atletismo não integrou os 50 quilómetros de marcha femininos. Inês Henriques, campeã europeia e mundial na modalidade, afirma-se disposta a recorrer à justiça caso esta decisão permaneça.

Ainda no mesmo tema, o Bloco apresentou queixa na Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género por comentários homofóbicos de deputado do PSD. Bruno Vitorino criticou uma sessão de esclarecimento sobre questões LBGTI numa escola: “'Sensibilizar' alunos de 11 anos sobre 'diferentes orientações sexuais'? Com associações LBGTI à mistura? Que porcaria é esta?”, perguntou no Facebook, classificando a iniciativa como “perversa” e causando indignação nas redes. De seguida, tentou emendar o que disse, mas não se livra da queixa. Leia ainda a opinião de Bruno Maia sobre o assunto.

Chamada pelo Bloco a esclarecer a aplicação do PREVPAP na RTP, a ministra da Cultura anunciou um volte-face na avaliação dos processos de trabalhadores ao serviço da RTP em falso outsourcing.Assim, a RTP reverte pareceres negativos e vai integrar mais 143 precários.

Entretanto, a Meo e a Galp foram condenadas por assédio laboral a trabalhadores. Pasme-se: uma e outra puseram trabalhadores numa sala sem fazer nada durante vários meses. O tribunal da Relação do Porto já as condenou ao pagamento de multas e o Bloco convocou uma audição pública sobre assédio laboral.

O Brexit continua a dar que falar. Esta terça-feira, o parlamento britânico voltou a chumbá-lo. É uma nova derrota pesada para Theresa May. A moção apresentada pelo governo, negociada com Bruxelas, foi rejeitada por 149 votos.

Maria Manuel Rola foi a primeira representante bloquista a participar numa delegação oficial portuguesa a visitar Angola. A deputada considera que, no que concerne às mudanças no país, “há sinais positivos, mas é cedo para fazer o balanço”.