Está aqui

Dia da água assinalado com protesto junto da UE contra plano de barragens

Plano para barragem no TejoDoze organizações ambientais juntaram-se numa carta ao presidente da Comssão Europeia para deixar um alerta a Durão sobre o andamento do plano que prevê construir doze barragens em Portugal. Os ambientalistas dizem que o plano vai custar mais de mil milhões de euros para uma produção de electricidade equivalente a 3.3% da energia consumida em Portugal e que apenas diminui em 1% a emissão de gases com efeito de estufa.
 

 


O presidente da Liga para a Protecção da Natureza, uma das associações subscritoras da carta, acusa o Governo de ter "fracassado na avaliação dos impactos ecológicos" e de não ter apresentado soluções alternativas mais efectivas a nível de custos e impactos ambientais tais como a "microgeração, a expansão da energia solar ou a redução dos consumos".

As associações defendem programas de poupança de energia que passem por medidas simples em detrimento dos mega-projectos com impacto negativo no ambiente. E contestam a ausência de uma avaliação sobre a implementação do Programa Nacional de Barragens com Elevado Potencial Hidroeléctrico (PNBEPH) lançado pelo governo no ano passado.

O objectivo da carta é o de pedir ao presidente da Comissão Europeia para supervisionar o andamento do projecto, impedindo-o de avançar antes de que haja uma avaliação deste programa.

Os ambientalistas criticam o PNBEPH por não apresentar "uma avaliação qualitativa ou quantitativa ou qualquer ponderação sobre potenciais alternativas energéticas para a produção da energia prevista pelas barragens propostas", o que representa uma violação da Directiva-Quadro da Água, já que esta avaliação é exigida pela Directiva de Avaliação Estratégica de Impactes Ambientais.

Para as associações, o PNBEPH não cumpre os objectivos da DQA no que toca a contribuir para a mitigação dos efeitos das cheias e secas pois este projecto não gera o fornecimento de uma quantidade suficiente de água de boa qualidade para uma utilização sustentável, equilibrada e equitativa".

Esta iniciativa que pretende assinalar o Dia Mundial da Água juntoua  LPN e Quercus em parceria com as associações Aldeia, Almargem, COAGRET-Portugal, Euronatura, FAPAS, Fundação Nova Cultura da Água, GEOTA, Grupo Flamingo, SPEA e o European Environmental Bureau.

Termos relacionados Sociedade