Está aqui

Bolívia nacionaliza empresas de electricidade

O governo boliviano nacionalizou cinco empresas de electricidade, passando a controlar a produção e distribuição de electricidade na Bolívia.

Com a decisão de Evo Morales o governo da Bolívia passa a controlar a produção e distribuição de electricidadeO governo boliviano nacionalizou cinco empresas de electricidade, passando a controlar a produção e distribuição de electricidade na Bolívia.

O presidente boliviano, Evo Morales, nacionalizou neste Sábado cinco empresas de electricidade:

Corani, controlada pela Inversiones Econergy Bolivia SA (subsidiária da francesa GDF Suez); Guaracachi, da britânica Ruelec PLC; Valle Hermoso, controlada pelo consórcio boliviano Bolivian Generating Group; TDE (Transportadora de Electricidade), da Rede Eléctrica Internacional (companhia filial do Grupo Rede Eléctrica de Espanha); Empresa de Luz e Força Eléctrica de Cochabamba, propriedade do sindicato de trabalhadores.

O governo boliviano disse que pagará aos capitalistas privados estrangeiros a sua participação accionista, deduzida dos passivos das empresas.

A decisão foi anunciada pelo presidente Empresa Nacional de Electricidade (ENDE), Roberto Peredo, numa cerimónia pública realizada na central eléctrica de Corani, na região de Cochabamba. Peredo lembrou que a empresa estatal ENDE foi privatizada, na década de 90, "desmembrada e vendida pelo capital neoliberal a preço de 'galinha morta'" e salientou que a nacionalização das empresas de electricidade é "uma das maiores conquistas da revolução cultural".

O governo boliviano ficará agora com o controlo de toda a rede de produção e distribuição de electricidade.

Termos relacionados Internacional