Está aqui

Espanha: direita e extrema-direita espanholas juntam-se em manifestação

No centro de Madrid, a direita uniu-se à extrema-direita para pedir eleições antecipadas e protestar contra as negociações entre o governo e as autoridades catalãs.
Imagem: Maria de Deus Rodrigues
Imagem: Maria de Deus Rodrigues

A manifestação aconteceu na manhã deste domingo. Convocada pelos principais partidos da direita espanhola, contou com o apoio da extrema-direita. Os dois juntaram-se contra o governo do PSOE, erguendo um mar de bandeiras nacionais na Praça Colón, protestando contra as cedências do governo em negociações com os independentistas catalães. Assim, juntaram-se os apoiantes do Vox, partido de extrema-direita, e de vários grupos franquistas, como a Falange e o Espanha 2000, aos principais partidos de direita – o Partido Popular e o Cidadãos.

O líder do Vox, Santiago Abascal, num discurso durante a manifestação, chegou a exigir a suspensão da autonomia da Catalunha, assim como a detenção de Quim Torra, presidente do governo catalão. Abascal chamou “golpe” ao processso independentista: “O golpe deve ser sufocado para deter os golpistas e os conspiradores”, afirmou.

Este protesto foi convocado na semana passada, depois de o governo ter aceitado a nomeação de um relator para as negociações com a Generalitat. Recorde-se que as negociações com as autoridades catalãs são fundamentais para que o governo assegure a aprovação do Orçamento do Estado. Os próximos dias serão determinantes para o futuro do governo de Sanchéz. Se o Orçamento for rejeitado, haverá eleições antecipadas.

Termos relacionados Internacional
Comentários (1)