Está aqui

Breves

Turquia: Polícia reprime manifestação do 1º de Maio

Autoridades policiais usaram gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes que pretendiam comemorar o Dia do Trabalhador na Praça Taksim, em Istambul. A agência France Press noticiou que os manifestantes empunhavam faixas de contestação ao regime liderado por Recep Erdogan onde se podia ler “longa vida ao 1º de Maio, não ao ditador!”

As comemorações oficiais tiveram lugar em Bakirkoy, na costa europeia de Istambul, perto do aeroporto Atatürk.

enfermeiros

Enfermeiros desconvocam greves marcadas para outubro

13 de Outubro 2017

A greve entre 23 e 27 de outubro, convocada pelo SIPE e o SE, afeto à UGT, foi desconvocada esta sexta-feira, após o governo ter aceitado iniciar a renegociação da carreira de enfermagem. De acordo com fontes sindicais ouvidas pela agência Lusa, as negociações devem ocorrer a partir do início da próxima semana. Entre as reivindicações dos dois sindicatos que constituem a Federação Nacional dos Sindicatos de Enfermagem (FENSE) está a “introdução da categoria de enfermeiros especialistas, nas especialidades criadas ou a criar”.

Diana Andringa

Diana Andringa entre as distinguidas com o prémio Maria Isabel Barreno

12 de Outubro 2017

O prémio de mérito foi entregue na terça-feira pelo governo a cinco autoras da cultura portuguesa: a soprano Elisabete Matos, a atriz Cristina Paiva, a pintora Paula Rego, a encenadora Mónica Calle e a jornalista Diana Andringa, que o dedicou a "todos os jornalistas que consideram que fazer jornalismo é uma forma de intervir na cultura e na cidadania e não criar conteúdos nem encher chouriços”.

87.5% dos jovens portugueses são a favor da eutanásia, aponta estudo

12 de Outubro 2017

Quando o assunto são direitos civis, os “millennials” portugueses partilham as opiniões dos espanhóis, franceses, ingleses ou norte-americanos, diz o estudo que a RH Consulting fez para a Associação Empresarial Portuguesa. Mais de 80% dos cinco mil jovens entre os 18 e os 34 anos, inquiridos naqueles cinco países, declaram-se a favor da eutanásia, dos direitos iguais para homossexuais e do aborto legal. Em Portugal, esse apoio é de 87.5%, 82.4% e 84.3%, respetivamente, diz a agência Lusa.

Carles Puigdemont, Presidente da Generalitat, com Felipe VI, Rei de Espanha, e Mariano Rajoy, Primeiro-Ministro de Espanha. Foto de Andreu Dalmas. EPA/Lusa.

Rajoy envia unidades militares para a Catalunha

4 de Outubro 2017

Sessenta minutos depois da “declaração de guerra” proferida pelo Rei Felipe VI, esta terça-feira, o Ministério da Defesa do governo de Mariano Rajoy deu a ordem ao Ejército de Tierra para enviar unidades para a Catalunha, com o propósito de apoiar a polícia espanhola e a Guardia Civil. 

As unidades saíram de Zaragoza com destino a Barcelona e são constituídas por elementos de apoio logítsico (AALOG 41), com sede na Base San Jorge, num total de 20 camiões. As unidades estavam em “situação de pré-alerta” há uma semana, um protocolo que obriga os seus membros a estarem localizáveis para serem ativados num curto espaço de tempo. 

Esta decisão indica, desde logo que as forças da polícia espanhola na Catalunha - que ultrapassam as 10 mil - não serão retiradas, tal como foi pedido por todos os atores políticos da Catalunha, e que o Ejército está preparado e disponível para operações de envergadura contra a Catalunha.

Concentração de solidariedade com a Catalunha, dia 5 de outubro no Porto

4 de Outubro 2017

Para esta quinta-feira, no dia do feriado nacional que festeja a Implantação da República Portuguesa, está marcado um protesto de solidariedade com a Catalunha, às 15h, no Largo de José Moreira da Silva, no Porto.

A concentração é de solidariedade com o povo catalão e “em defesa dos princípios da democracia e da República, em particular do direito ao voto”.

No evento no Facebook, encontra-se a seguinte nota sobre o local escolhido: O Largo de José Moreira da Silva situa-se em frente à Escola Superior de Música e Artes de Espetáculo, muito perto do Consulado de Espanha.

Nas eeleições para a CT da Autoeuropa nenhuma lista teve maioria

CT da Autoeuropa: Nenhuma lista obteve maioria

3 de Outubro 2017

Nas eleições para a Comissão de Trabalhadores (CT) da Autoeuropa, que se realizaram nesta terça-feira 3 de outubro, a lista E, encabeçada por Fernando Gonçalves foi a mais votada, obtendo 4 mandatos, seguida pela lista D, encabeçada por Fausto Dionísio, que obteve 3 mandatos. Ambas as listas são independentes.

A lista C, encabeçada por José Carlos Silva e apoiada pelo sindicato Site-Sul, obteve igualmente 3 mandatos, enquanto a lista A, encabeçada por Paulo Marques alcançou um mandato.

A lista B, encabeçada por Isidoro Barradas e apoiada pela UGT, não elegeu ninguém, assim como a lista F, encabeçada pelo coordenador da anterior CT, Fernando Sequeira.

Nas eleições votaram 4.011 trabalhadores (78,2%) em 5.128 com direito a voto. A votação por lista foi a seguinte:

  1. E – 1.216
  2. D – 1.079
  3. C – 1.066
  4. A – 306
  5. B – 106
  6. F – 82
Presidente do PSD desde 2010, anunciou esta terça-feira que não se recandidata à liderança do partido. Foto de Estela Silva/Lusa

Passos Coelho não se recandidata à liderança do PSD

3 de Outubro 2017

Na reunião da Comissão Política Nacional do PSD, esta quarta-feira, Pedro Passos Coelho anunciou que não se iria recandidatar e reafirmou que não se demite. Porém, proferiu um discurso de despedida e sugeriu a antecipação do congresso e das eleições internas.

Assumindo que foi surpreendido pelo "pesado" resultado do seu partido, nas eleiçoes autárquicas deste domingo, Passos Coelho considerou que estes “também responsabilizam e penalizam a direção nacional”. “O partido não ficará em gestão, mas como não saio ileso, não deixo de tirar consequências para o futuro e essa consequência exprime-se na decisão de não me recandidatar”, disse, confirmando a decisão já anunciada esta tarde, à Comissão Política Nacional.

Depois de longos minutos a defender a necessidade de uma nova liderança para o partido, em tom de despedida, Passos Coelho também disse que não andará por aí a “rondar” nem a “assombrar”. Contudo, também não se vai “calar para sempre”. O líder mantém-se em funções e “não deixa o partido em gestão”, ou seja, não se demite, mas sugere eleições internas já daqui a dois meses. Neste tempo de transição, lançou dois nomes: Paulo Rangel, eurodeputado e vice-presidente do Partido Popular Europeu, e Hugo Soares, líder parlamentar.

Entretanto, Pedro Santana Lopes confessou estar a ponderar candidatar-se à liderança do partido, no habitual espaço de debate na SIC Notícias, na noite desta quarta-feira.

Bloco prevê “reforço substantivo” na representação autárquica

1 de Outubro 2017

Numa curta declaração à imprensa (ver vídeo) para comentar as projeções divulgadas pelos canais televisivos, Mariana Mortágua destacou a eleição de Ricardo Robles em Lisboa. “Os sinais que temos recebido do país apontam para um reforço substantivo da representação autárquica do Bloco de Esquerda”, acrescentou a deputada bloquista.

Como e onde votar hoje?

1 de Outubro 2017

Para saber o local de voto, número de eleitor e freguesia ou distrito consular a que pertence, qualquer eleitor recenseado poderá utilizar a página www.recenseamento.mai.gov.pt, bastando inserir o número de identificação civil (constante no Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão) e Data de Nascimento. 

Se sabe o seu número de eleitor e freguesia onde se encontra recenseado, a Comissão Nacional de Eleições indica o local exato (rua ou edifício) e a secção em que vota.  

No local de voto, necessita apenas de ter consigo o Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão. 

 

Polícia espanhola cria hashtag de mobilização contra a Catalunha

30 de Setembro 2017

A conta de Twitter do Ministério do Interior do governo espanhol criou a hashtag #EstamosporTI, com o propósito de agregar informação oficial sobre o referendo 1-O. Serve também a função de comprometer as forças de segurança na luta política contra a Catalunha, mobilizando o público nacionalista espanhol, o que representa mais um passo na guerra informática que o governo de Mariano Rajoy está a mover contra a Generalitat da Catalunha. 

Na sua primeira mensagem dedicada à hashtag, a Polícia Nacional declara "porque todos somos um, porque todos somos Espanha, pela nossa Democracia, pela legalidade...".

 

Páginas