Trabalhadora acorrenta-se na empresa para exigir salários em atraso

Nesta sexta-feira, uma trabalhadora do resort Clube Praia da Rocha, em Portimão, acorrentou-se nas escadas interiores para exigir o pagamento de salários em atraso. “A mim, o patrão deve-me 3.000 euros, ao meu filho são mais 1800 euros. Nós trabalhámos para ganhar esse dinheiro e não há direito que agora não nos paguem”, declarou Marilu Santana ao “Sul Informação”.

Em situação semelhante à desta trabalhadora estão 30 funcionários do Clube Praia da Rocha que terminaram os contratos em outubro passado e a quem a empresa gestora, Green Stairs, ficou a dever os salários de setembro, outubro e metade do de agosto, assim como subsídios de férias, Natal e outras compensações. Tiago Jacinto, coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da Hotelaria no Algarve, disse à Lusa que os trabalhadores “estão a ficar desesperados”, pelo que “hoje (sexta-feira) decidiram concentrar-se e exigir uma resposta da administração da empresa”.

Main Image