Está aqui

Breves

Atribuição de novas pensões com atrasos de seis meses

Segundo denuncia a Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos (MURPI), a situação abrange tanto as pensões de velhice como de invalidez. Quando estão em causa cidadãos que exerceram atividade em Portugal e em outro país com o qual Portugal se encontra vinculado com instrumento internacional de Segurança Social, o atraso pode chegar a um ano. A Confederação, que tem conhecimento de centenas de casos, denuncia ainda que a pensão antecipada não está informatizada, o que impede os cidadãos de obterem um cálculo do valor a receber. O Instituto de Segurança Social nega os atrasos na atribuição de pensões.