Está aqui

Ricardo Coelho

Ricardo Coelho, economista, especializado em Economia Ecológica

Artigos do Autor(a)

5 de Novembro, 2011 - 00:05h

A Economia Estúpida incorpora tanto a ortodoxia económica como o comentário mediático. No campo académico, produz ignorância e falta de sentido crítico. No campo mediático, reproduz a ideologia da inevitabilidade.

19 de Outubro, 2011 - 11:18h

A Bolívia foi palco recentemente de um lamentável episódio de violência policial que prejudicou irremediavelmente a imagem de um dos governos mais progressivos do mundo.

8 de Outubro, 2011 - 13:29h

Fosse a Economia como o nutricionismo e os economistas austeritários seriam relegados ao esquecimento. Mas, infelizmente, é essa a diferença entre a Economia e as outras áreas do saber...

21 de Setembro, 2011 - 00:12h

Talvez o melhor exemplo de quem lucra com a crise seja dado pelos “fundos abutre”. Estes fundos têm como finalidade comprar dívida de países em dificuldades financeiras a um preço tão baixo quanto possível.

12 de Setembro, 2011 - 10:35h

Sou da opinião de que uma lista das coisas melhores na vida que não inclua chocolate e batata frita não deve ser levada a sério. Uma proposta para taxar os produtos alimentares pouco saudáveis para financiar o Serviço Nacional de Saúde também não.

14 de Agosto, 2011 - 00:02h

O crescimento da actividade económica não deve ser o objectivo de uma economia socialista ou em transição para o socialismo.

28 de Julho, 2011 - 01:15h

Como o criminoso em causa é um elemento da extrema-direita anti-muçulmana, o acto foi imediatamente reduzido a um acto isolado de um louco, como se o louco não fizesse parte de uma rede com milhares de seguidores na Internet.

16 de Julho, 2011 - 01:44h

Não prevendo qualquer papel para a mudança de estrutura produtiva ou de comportamentos, os editores do Economist defendem que a única saída da crise climática é o investimento em experiências próprias de cientistas loucos com o objectivo de moldar o clima à medida das nossas necessidades.

29 de Junho, 2011 - 01:46h

O novo estatuto editorial do Expresso contém uma novidade assinalável: pela primeira vez, um órgão de comunicação social admite que irá recusar a publicação de notícias que possam ser prejudiciais aos interesses instalados.

19 de Junho, 2011 - 01:35h

A quantificação é fundamental para criar hierarquias e legitimar a autoridade de quem exerce o poder de forma discricionária.

Páginas