Está aqui

Mariana Mortágua

Deputada. Dirigente do Bloco de Esquerda. Economista.

Artigos do Autor(a)

6 de Fevereiro, 2015 - 17:55h

No balanço de abertura do Novo Banco apenas aparece registada uma provisão de 450 milhões para os clientes de retalho que investiram nos veículos especiais. Este recuo acontece em simultâneo com a mudança de estratégia, para uma venda apressada do Novo Banco. É legítimo perguntar: será que o Novo Banco tem responsabilidades para com estes clientes? Por Mariana Mortágua

14 de Janeiro, 2015 - 16:52h

Sérgio Monteiro, campeão das PPP´s ruinosas para o Estado enquanto gestor, é o mesmo Sérgio Monteiro que renegociou para o Estado essas mesmas PPP.

13 de Janeiro, 2015 - 19:15h

Foi este o esquema que precipitou a queda do BES ao gerar a necessidade de registar uma provisão de perdas potenciais de 1.250 milhões de Euros, não contemplados na almofada de capital que, um mês antes da intervenção no banco, todos declaravam suficiente. Artigo de Mariana Mortágua.

26 de Dezembro, 2014 - 16:39h

Álvaro Sobrinho veio à comissão de inquérito dizer que o dinheiro emprestado pelo BES ao BES Angola nunca saiu, afinal, de Portugal. Por Mariana Mortágua

7 de Dezembro, 2014 - 18:25h

A abrangência do conhecimento da KPMG em relação ao Grupo Espírito Santo levanta duas questões: Como é que a KPMG, auditora do BESA, não avisou a KPMG, auditora do BES, sobre os problemas que o banco angolano estava a atravessar? A KPMG, que auditava a maior parte das empresas do ramo financeiro do grupo, não era a entidade em melhor posição para reconhecer e antecipar os problemas no GES? Por Mariana Mortágua.

5 de Dezembro, 2014 - 12:27h

Perdas do “banco bom” à data da resolução chegam a quase 4.950 milhões de euros e incluem o BES Angola, empréstimos concedidos, reavaliação dos imóveis detidos pelo banco e investimentos em empresas subsidiárias. Artigo de Mariana Mortágua no blog “Disto Tudo”.

19 de Outubro, 2014 - 19:25h

Querem saber como se destrói uma empresa? Perguntem a Zeinal Bava e a Henrique Granadeiro. O que teve lugar na Portugal Telecom, nos últimos anos, devia ser compilado e dar origem a um manual de instruções para afundar empresas.

8 de Outubro, 2014 - 17:45h

Querem saber como se destrói uma empresa? Perguntem a Zeinal Bava e a Henrique Granadeiro. O que teve lugar na Portugal Telecom, nos últimos anos, devia ser compilado e dar origem a um manual de instruções para afundar empresas.

18 de Setembro, 2014 - 18:00h

Este governo só conhece três formas de intervenção pública: cortar, privatizar e taxar. Com cada uma delas o país fica mais pobre e por isso merecem toda a nossa oposição.

16 de Julho, 2014 - 00:02h

Nanni Moretti, em "Palombella Rossa", um dos seus primeiros mas mais conhecidos filmes, gritava para uma jornalista "as palavras são importantes!". E como são. A quem as controla cabe o poder de definir as fronteiras do possível, do inevitável. A quem as controla cabe o privilégio de decidir o que é ou não "economicamente aceitável".

Páginas