Está aqui

Mariana Mortágua

Deputada. Dirigente do Bloco de Esquerda. Economista.

Artigos do Autor(a)

14 de Janeiro, 2019 - 12:03h

O tema é complexo e, talvez por isso, se tenha dado pouca atenção a uma lei que, em 2014, deu aos bancos portugueses o direito de vir a reclamar mais de 3000 milhões de euros ao Estado.

2 de Janeiro, 2019 - 22:06h

Dia 1 de janeiro de 2019, o primeiro dia do ano que marca o fim de uma legislatura que, nos seus últimos meses, ainda tem provas para dar.

29 de Dezembro, 2018 - 20:30h

Conhecer os grandes devedores que colocaram em risco, não só os bancos de que muitas vezes eram acionistas, mas as maiores empresas do país, é um requisito básico de transparência.

21 de Dezembro, 2018 - 21:05h

Em tempos de austeridade, PSD e CDS souberam sempre assegurar bons negócios. Privatizaram a EDP e ainda lhe garantiram lucros fixos por mais sete anos na eólica.

16 de Dezembro, 2018 - 21:32h

Lembro-me bem de 2012 e 2013. Foram anos de grande contestação e de muitas e duras greves, tanto no setor público como no privado. Na altura estava em causa a defesa dos direitos mais básicos.

9 de Dezembro, 2018 - 17:45h

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de risco de pobreza após transferências sociais caiu de 19,5% em 2013 para 17,3% em 2017.

25 de Novembro, 2018 - 15:41h

Temos assistido à organização da gente da Cultura que está cansada de viver com as metades das metades, e que luta por uma política cultural por inteiro, por orçamento e por dignidade.

18 de Novembro, 2018 - 14:22h

A partir do próximo ano letivo a propina máxima na universidade passará de 1068€ para 856€. É a primeira vez na história da propina, iniciada em 1992, que o seu valor é reduzido.

10 de Novembro, 2018 - 09:11h

Porque não queremos pactuar com o regime de opacidade, apresentámos uma proposta para que a Autoridade Tributária possa deter e controlar a informação relativa aos RERT (Regime Especial de Regularização Tributária).

1 de Novembro, 2018 - 21:52h

A Galp Energia e a ENI desistiram do projeto de exploração de petróleo ao largo de Aljezur. Apesar da conivência do atual Governo, a persistência dos movimentos sociais foi mais forte.

Páginas