Está aqui

Joana Mortágua

Deputada e dirigente do Bloco de Esquerda, licenciada em relações internacionais.

Artigos do Autor(a)

15 de Maio, 2020 - 15:00h

A inexistência de uma rede pública de creches, gratuita e universal, abandonou as famílias às regras do mercado, e o mercado abandona quem está mais vulnerável.

8 de Maio, 2020 - 13:01h

A Europa alemã é aquela em que o Tribunal Constitucional português nada pode contra a imposição de austeridade, mas o tribunal alemão tudo pode contra o BCE.

2 de Maio, 2020 - 17:38h

O Governo falhou na proteção aos trabalhadores quando recusou proibir despedimentos e não impôs essa condição para o recurso ao layoff. A Autoridade para as Condições do Trabalho também não fez o seu trabalho.

25 de Abril, 2020 - 15:20h

A responsabilidade por impor bom senso no ensino à distância é do Ministério da Educação. E, aí, o ministro Tiago Brandão Rodrigues falhou.

18 de Abril, 2020 - 16:59h

A resposta do Governo à crise provocada pelo Covid-19 ficou aquém na necessidade de proteger os mais vulneráveis.

11 de Abril, 2020 - 10:49h

Negar a existência de coisas que estão perante os nossos olhos, sejam as alterações climáticas ou uma pandemia viral, pode parecer simples loucura mas é uma escolha deliberada, consciente e política.

5 de Abril, 2020 - 17:04h

Quando uma única sala de aula se divide em 30 salas de 30 casas diferentes, o contexto socioeconómico dos alunos passa a ser o principal facilitador ou obstáculo das aprendizagens.

29 de Março, 2020 - 11:45h

A UNESCO estima que 82,5% dos estudantes do mundo estejam sem aulas, o que representa desafios inimagináveis para os países. A médio prazo, o agravamento das desigualdades sociais; a curto prazo, a dúvida sobre a conclusão do ano letivo.

20 de Março, 2020 - 10:45h

Não dispensaremos nenhuma das responsabilidades constitucionais na fiscalização da sua aplicação e da ação do Governo nesta crise. Nos momentos difíceis, a democracia tem de estar à altura das exigências.

14 de Março, 2020 - 11:36h

A nova direita gosta de se chamar liberal, mas acaba por cair nos termos e nos debates dos “populistas”, como se tivessem mel.

Páginas