Zonas de emissões reduzidas: cidades portuguesas na cauda da Europa

05 de agosto 2022 - 15:54

Zonas de emissões reduzidas proliferam nas cidades europeias e são eficazes na redução da poluição e das emissões de dióxido de carbono, revela um estudo divulgado pela Zero. Cidades portuguesas estão a ficar para trás.

PARTILHAR
Rua sem carros - Foto de bragaciclavel.pt
Rua sem carros - Foto de bragaciclavel.pt

A associação ambientalista Zero divulgou, em comunicado, um estudo que revela que as zonas de emissões reduzidas (ZER) têm vindo a aumentar nas cidades da Europa, com resultados muito benéficos no combate à poluição, na redução das emissões de dióxido de carbono e na qualidade do ar.

O estudo, elaborado no âmbito da Campanha Cidades Limpas, promovida por uma coligação de ONG de que a Zero faz parte, mostra que, nas cidades europeias, já há 320 zonas onde o acesso a carros mais antigos (os mais poluentes) é restringido. O crescimento é de 40% face a 2019. As ZER proíbem carros a gasóleo da norma Euro 4 (2005) ou mais antigos, e gasolina Euro 3 (2001) ou mais antigos. Em algumas zonas é obrigatório o pagamento de uma taxa à entrada.

O número das ZER deverá crescer 58% na Europa até 2025. Em Espanha haverá 146 novas ZER até 2024, e em França 34 até 2025.

Em 27 ZER serão implementados critérios mais rigorosos e Paris, Amesterdão e Copenhaga deverão recusar entrada a todos os veículos a gasolina e diesel até ao final da década. Bruxelas deverá fazer o mesmo até 2035.

Zonas sem carros são benéficas para a qualidade do ar e para o comércio

No comunicado, a Zero refere que, segundo a OMS, a poluição atmosférica é uma emergência de saúde, que causa mais de 300 mil mortes na União Europeia e cerca de 6 mil em Portugal.

Aponta também que os estudos mostram que as ZER asseguram fortes melhorias na qualidade do ar e fazem aumentar as vendas no comércio.

Segundo o estudo divulgado pela Zero, recentes sondagens apontam que a maioria dos habitantes das cidades defende que os automóveis a gasolina e gasóleo sejam progressivamente proibidos de entrar nas cidades.

Cidades portuguesas estão a ficar para trás

De acordo com o comunicado, em Portugal só existe uma ZER em Lisboa, “mas de efeitos praticamente nulos dada a sua profunda desatualização em termos de exigências e ausência de fiscalização eficaz”. Refere o comunicado que, por exemplo, na Avenida da Liberdade, que faz parte da zona, os limites de poluição são sistematicamente violados.

Ricardo Moreira
Ricardo Moreira

Super quarteirões sem carros para salvar as cidades

12 de agosto 2020

Também não há planos anunciados para a instauração de novas ZER e zonas sem carros.

Em Lisboa, o projeto de criação de uma ZER no centro da cidade foi metido na gaveta pela atual Câmara de maioria de direita.

A ZERO defende que as ZER são "um instrumento de política pública aos dispor das cidades para melhoria do ar e do conforto público, mas que em Portugal não está a ser devidamente aproveitado”. A associação destaca que para implantar essas zonas a médio prazo é preciso preparar o caminho pelas autarquias, começando nos centros históricos e alargando as ZER às zonas mais periféricas.