Está aqui

Vigilância da NSA violou a lei milhares de vezes

Washington Post revela uma auditoria interna que concluiu que a Agência de Segurança Nacional americana espiou sem autorização, violando a lei e a privacidade de milhares de pessoas por ano. O documento foi entregue ao jornal por Edward Snowden.
Os documentos de Snowden continuam a informar o público, desta vez através do Washington Post.

A Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos quebrou as regras de privacidade e as leis de espionagem milhares de vezes nos últimos anos, conclui uma auditoria interna realizada em maio de 2012 e revelada pelo jornal Washington Post esta sexta-feira. O diário obteve o documento através de Edward Snowden, antigo analista informático da agência, que entregou há meses vasta documentação.

A auditoria inclui desde violações significativas da lei, como a vigilância sem autorização de cidadãos americanos e estrangeiros, até erros de digitação, que inadvertidamente conduziram à espionagem de telefones e emails – devido à troca do indicativo de Washington (202) pelo do Egipto (20).

A auditoria interna conta 2776 casos de recolha não autorizada de dados nos 12 meses anteriores, que marcam um aumento do número de violações – de 546 no segundo trimestre de 2011 para 865 no primeiro trimestre de 2012. O jornal diz que o caso mais grave foi a violação de uma ordem de tribunal e o uso de dados não autorizados de 3000 americanos e residentes permanentes nos EUA.

O jornal refere também um caso em que a agência armazenou e analisou enormes quantidades de dados internacionais de um cabo de fibra óptica que atravessa os EUA. Meses mais tarde, o tribunal especial que supervisiona a espionagem (FISA) concluiu que o programa em causa violava a Constituição americana.

Num comunicado enviado ao Post, a agência admite que cometeu erros, mas afirma que sempre que eles são detetados tenta corrigi-los "o mais rapidamente possível". 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)